Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
22 de Fevereiro 2024
Vender online para França: o que deve saber

Artigo AICEP

Artigo elaborado em agosto de 2023.

É um dos maiores mercados de comércio eletrónico a nível europeu, pelo que o caminho para o e-commerce internacional terá quase obrigatoriamente de passar por vender online para França. Para lançar ou consolidar a presença neste mercado, é essencial conhecer o enquadramento social e tecnológico, bem como as características do consumidor francês.

Sendo França o segundo maior cliente das exportações portuguesas, explorar o potencial do comércio eletrónico – que já tem um peso bastante significativo no consumo – será uma forma de reforçar as relações comerciais com um país que tem fortes ligações a Portugal.

Dados e números sobre o comércio online em França

Dos 68 milhões de habitantes, 42 milhões fizeram compras online em 2022[1]. Até 2027 este valor deve atingir os 52,6 milhões. Nesse ano, as compras de e-commerce no mercado francês podem chegar aos 127 mil milhões de dólares (USD).

O comércio eletrónico no país teve em 2022 um volume de negócios de 78 mil milhões de USD, fazendo de França o 7º maior mercado mundial nesta área e o 3º maior da Europa (2º da União Europeia).

O relatório Les chiffres-clés du e-commerce 2023” (“Os números-chave do e-commerce 2023”) da Fédération du E-commerce et de la Vente à Distance (FEVAD), mostra que, em 2022, as vendas online aumentaram 13,8% em relação ao ano anterior. Um número significativo se tivermos em conta que esse foi o ano em que, terminadas as restrições devido à COVID-19, os consumidores voltaram às compras presenciais. E, ainda assim, os franceses mantiveram os hábitos relacionados com as compras online, sobretudo no que respeita aos serviços. No entanto, a venda de produtos online aumentou 33% em comparação com 2019 (antes da pandemia), o que revela que o hábito de fazer compras pela internet se tornou mais comum.

Vender online para França: o peso da tecnologia

O interesse no comércio eletrónico é sustentado por um ambiente propício à utilização de tecnologias digitais: em 2022 a taxa de penetração da internet foi de 83% (um valor superior à média mundial) e a dos smartphones de 82,7% (a média mundial foi de 65,8%). Estes indicadores deverão rondar os 88% em 2027.

Se tem interesse em vender online para França também é importante saber que o país ocupa o 15.º lugar (em 115 países) no índice de digitalização e que se destaca em domínios como ecossistema do conhecimento, infraestruturas logísticas e ambiente de negócios, com pontuações superiores a 80%.

Ou seja, os números mostram que vender online para França é uma aposta num mercado onde o comércio eletrónico tem todas as condições para continuar a crescer.

6 pontos para conhecer o consumidor francês

O relatório da FEVAD mostra que são cada vez mais os franceses que compram online e que em certos grupos demográficos (como os jovens entre os 25 e os 34 anos das classes A e B) este é um hábito comum a praticamente todos os consumidores. 

Um terço dos consumidores faz compras online duas a três vezes por mês e 24% recorrem ao e-commerce com uma periodicidade mensal. A percentagem dos que compram na internet semanalmente também é significativa (15%).

Outro dado interessante é que 92% dos franceses encaram o e-commerce como uma forma de poupar tempo.

1. O que compra o consumidor francês?

Segundo a FEVAD, as três principais categorias de compras online são moda/vestuário, calçado e saúde e beleza.

Seguem-se os produtos culturais (como livros e discos), brinquedos e jogos, têxtil lar, eletrodomésticos, decoração, alimentação e bebidas, bricolage e jardim, produtos de limpeza, acessórios para automóveis, joias e relógios, artigos desportivos, malas e flores. 

2. Quanto gasta?

Em 2023 cada consumidor francês deverá gastar cerca de 1795 dólares em compras online. Este valor deve crescer a um ritmo de 7,7% até 2027.

As previsões para o mercado chinês (o mais evoluído em termos de e-commerce) ficam-se pelos  1351 USD, enquanto o valor de referência para o mercado português é de 1096 USD e a média mundial não ultrapassa os 934 USD.[2]

3. O que procura?

Quando fazem compras online, 49% dos franceses valorizam a relação qualidade-preço. Cerca de 27% apreciam a seleção de produtos e 10% preferem sites intuitivos e de fácil navegação. Quando encontram o que procuram, 55% mantêm-se fiéis a essas páginas de lojas ou marketplaces

No último trimestre de 2022, a Amazon liderava a lista dos sites e apps de e-commerce com mais visitas (uma média de 9,118,000 visitantes únicos /dia). Seguiam-se o Leboncoin (6,448,000 visitas), CDISCOUNT (2,116,000) e FNAC(1,427,000).

Em 2022, as vendas através de marketplaces desceram ligeiramente em relação a 2021 (-1,6%), mas tiveram uma subida de 30% em comparação com o período pré-pandemia.

4. Como paga?

Se vai vender online para França, é importante conhecer os métodos de pagamento mais usados pelos consumidores. Os franceses continuam a preferir cartões para pagar as suas compras, pelo que, se tiver uma loja online será importante disponibilizar esta solução.

Transferências, débitos diretos e cheques também estão na lista dos mais usados, mas o relatório da FEVAD refere que as wallets digitais e os cartões-presente estão a tornar-se mais comuns. O mesmo acontece com os pagamentos diferidos ou em prestações. 

5. Como gosta de receber as compras? 

As questões logísticas são outra parte importante do e-commerce, tornando-se ainda mais importantes quando as vendas têm como destino outros países. A grande maioria dos consumidores franceses (78%) prefere receber as suas encomendas em casa. 

No entanto, 7 em cada 10 começam a estar recetivos a outras soluções, como a recolha em pontos de entrega como postos de correio ou pontos pickup. Os serviços de drive-through pickup também conquistam adeptos.

6. Tem preocupações ambientais?

A sustentabilidade é um ponto muito valorizado pelos consumidores franceses, que estão dispostos a alterar hábitos de consumo em prol do ambiente. 

Um exemplo é o facto de as compras de artigos em segunda mão terem sido uma das tendências do e-commerce em França durante o ano de 2022. Moda e calçado, livros, discos e jogos e brinquedos foram as categorias mais procuradas.

Em nome da sustentabilidade, os franceses estão dispostos a fazer opções como escolher a qualidade em detrimento da quantidade e a evitar, sempre que possível, a devolução de produtos. Asseguram também que, nas suas compras online, vão escolher métodos de entrega mais amigos do ambiente e procurar sites de empresas com maior consciência ambiental. 

As oportunidades para empresas portuguesas

Os dados do mercado de e-commerce francês tornam-no interessante para as empresas portuguesas. Fatores como a proximidade geográfica, baixa complexidade logística e a presença de uma grande comunidade portuguesa aumentam o potencial de França como um destino apetecível para as vendas online.

Para definir a estratégia de abordagem ao mercado de e-commerce francês é necessário, contudo, assegurar que a sua empresa está preparada para tal. O diagnóstico de e-commerce é um dos recursos disponibilizados pela AICEP na área reservada MY AICEP onde encontrará também informações de mercado, oportunidades de negócio ou apoio na criação de planos de ação para iniciar ou reforçar a internacionalização.

Veja também:

Guia prático para PME: como exportar através do e-commerce

Loja virtual ou marketplace? Prós e contras de cada solução

O que esperar da AICEP no apoio à exportação?

Notícias AICEP
Academia AICEP: formar para a internacionalização

AICEP

Conheça os cursos e formações disponíveis na Academia AICEP.

Loja virtual ou marketplace? Prós e contras de cada solução

AICEP

Antes de tomar decisões, conheça as vantagens e desvantagens de cada uma das soluções.

7 vantagens de vender na Amazon

AICEP

Conheça todas as vantagens de vender na Amazon e leve a sua empresa para novos mercados.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório