Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
22 de Dezembro 2021

7 vantagens de vender na Amazon

AICEP

Um mercado global que permite a qualquer empresa, independentemente da sua dimensão, aumentar a sua visibilidade e chegar a milhões de potenciais clientes: vender na Amazon pode ser o impulso que o seu negócio precisa para avançar definitivamente para novos mercados.

Quando se fala em vendas online é impossível não pensar na Amazon. O gigante do comércio eletrónico que, no terceiro trimestre de 2021, faturou 111 mil milhões de dólares e teve um lucro de 6 mil milhões, tem cerca de 1,9 milhões de vendedores inscritos na sua plataforma

Além de ser uma plataforma onde pode mostrar os seus produtos, a Amazon também pode armazenar, embalar e entregar produtos aos clientes, bem como tratar de todo o processo pós-venda. Ou seja, pode ser a solução para empresas de pequena e média dimensão que não têm estrutura ou capacidade financeira para se poderem ocupar de todas as etapas do processo de vendas online.

As razões para pensar em vender na Amazon

Apesar de não ter ainda um centro logístico em Portugal - o mais perto é em Madrid - são já várias as empresas portuguesas que vendem através deste marketplace B2C. 

A possibilidade de chegar a novos mercados é uma das principais vantagens de vender na Amazon, mas há mais. O apoio logístico, o sistema de pagamentos seguros e a responsabilidade pelas devoluções são outros aspetos importantes.  

Vejamos algumas das razões para ponderar colocar os seus produtos à venda nesta plataforma internacional.

1. Visibilidade  

Teoricamente, o universo de potenciais clientes equivale aos milhões de pessoas que, todos os dias, visitam o site da Amazon. Mesmo tendo em conta as questões logísticas e olhando só para o mercado europeu, estamos já a falar de um grande número de consumidores: Reino Unido, Alemanha, França, Itália e Espanha são os países onde a Amazon está presente.

Pense na Amazon como uma “montra” gigante, que permite que os seus produtos sejam vistos e comprados por pessoas que, de outra forma, nem sequer saberiam que existem. Na Europa, a Amazon recebe cerca de 290 milhões de visitas mensais.

Por outro lado, o facto de poder ter os seus produtos em várias categorias e subcategorias da plataforma permite chegar a públicos mais diversificados. Ou seja, é como se estivessem em várias secções de uma loja, aumentando assim as hipóteses de serem vistos e comprados.

2. Credibilidade  

Associar a sua empresa a uma plataforma como a Amazon aumenta a sua credibilidade junto de potenciais clientes. Embora possam nunca ter ouvido falar da sua empresa ou dos seus produtos, têm a perceção que, se estão à venda na Amazon, podem confiar.

Além disso, a credibilidade da Amazon é, para a sua empresa, uma garantia de segurança. Sendo uma marca global e com a dimensão económica que tem, existem muito menos possibilidades de vir a ter problemas.  

3. Menos despesas 

Vender através de uma loja online própria implica desde logo um grande investimento. Criar uma boa plataforma, que alie design, funcionalidade e segurança tem custos elevados e leva o seu tempo. 

Se optar por vender na Amazon já terá uma plataforma pronta a usar, beneficiando também da longa experiência que a empresa tem nesta área. 

Além disso, também pode tirar partido do apoio que a Amazon dá aos seus clientes, nomeadamente a nível logístico. Se aderir ao FBA (Fulfillment by Amazon) pode usar a rede de distribuição da empresa ou enviar parte do seu stock para um dos centros logísticos, para que sejam posteriormente distribuídos.

Vai igualmente poupar em despesas relacionadas com marketing e análise de dados. Ao escolher esta plataforma terá também acesso a relatórios sobre a sua atividade como vendedor, nomeadamente no que respeita a cliques ou impressões. Através da plataforma tem igualmente acesso a dicas, eventos e seminários para que possa aprofundar os seus conhecimentos sobre vendas online.

4. Facilidade de gestão

Quando se vende para outros países, existe sempre a barreira da língua. Por isso, ao comercializar os seus produtos através de uma loja online própria, teria de ter páginas em vários idiomas - ou pelo menos nos mais falados. E isso implica custos e tempo. 

Ao usar a plataforma da Amazon vai ter ferramentas gratuitas de publicação e tradução. Os idiomas dos cinco mercados europeus (alemão, francês, italiano, espanhol e inglês) estão abrangidos. 

Com apenas uma conta também é possível gerir os inventários dos cinco sites europeus (Amazon.co.uk, Amazon.fr, Amazon.de, Amazon.it e Amazon.es).

Outra preocupação quando se vende para outros países europeus prende-se com a fiscalidade, nomeadamente com o IVA. Apesar de o processo ser agora mais simples, a plataforma também está preparada para lidar com esta situação. 

A questão das diferentes moedas fica igualmente ultrapassada, já que a Amazon aceita pagamentos em várias divisas, mas paga-lhe em euros.  

5. Plano adaptado aos seus objetivos

Se pretende vender na Amazon tem dois planos à escolha: o individual e o profissional, sendo que cada um tem os seus preços e serviços associados.

Assim, um vendedor individual, ou seja, uma pessoa que venda menos de 40 artigos por mês, paga apenas 0,99€ mais uma tarifa adicional.

No caso das empresas, porém, o plano profissional é mais vantajoso. Tem um custo de 39€, a que acrescem comissões mensais que variam consoante a categoria do produto, mas que são, em média, de 15%. 

No entanto, permite acrescentar produtos, atualizar o catálogo e criar opções de publicidade. Esta opção dá acesso a vários recursos de gestão e de formação bastante úteis.

6. Segurança 

Quando se vende através da internet, a segurança é sempre uma preocupação. Garantir que os pagamentos são feitos com segurança, que os dados dos clientes estão seguros e que a própria plataforma está protegida contra terceiros são aspetos fundamentais nas vendas online.

Ao vender na Amazon vai usufruir da proteção antifraude da plataforma, o que não só garante uma segurança acrescida, como isenta a sua empresa de eventuais riscos.  

7. Saber o que pensam os seus clientes 

As avaliações dos clientes são fundamentais para qualquer negócio. Permitem perceber o que é possível melhorar e quais são os pontos fracos e fortes dos seus produtos.

Por outro lado, um grande número de críticas positivas é, sem dúvida, a melhor publicidade que se pode ter. E as avaliações da Amazon são, para muitos consumidores, a diferença entre comprarem ou não determinado produto. Por isso, este é um recurso importante para ajudar a atrair clientes e para reforçar a reputação da sua marca. 

Além disso, a Amazon está atenta às reviews e penaliza os vendedores que sejam alvos de muitas avaliações negativas. O que significa que só estão presentes os que são realmente credíveis. 

O que é que a sua empresa tem de fazer para começar a vender na Amazon?

Para se registar e vender na Amazon, terá de recorrer ao site espanhol, que tem uma versão em português preparada para as empresas nacionais. A distribuição para os restantes países europeus é feita a partir do centro logístico em Madrid.

De resto, as condições são as mesmas que se aplicam às empresas espanholas. Para começar tem de fazer um registo no site e submeter a informação e documentação que lhe seja pedida. 

Este Guia para Principiantes pode ser uma boa ajuda para dar os primeiros passos e começar a vender na Amazon, tal como os webinars que a Academia AICEP dinamiza regularmente, e que o colocam em contacto direto com managers e gestores de conta do marketplace da Amazon.

Registe-se na MY AICEP e receba sugestões de formação adequadas ao seu perfil. Aqui, poderá também solicitar um Diagnóstico de Internacionalização à sua empresa para avaliar se tem as condições necessárias para começar a exportar para este marketplace.

Veja também:

Tipos de marketplaces e as suas propostas de valor

Guia prático para PME: como exportar através do e-commerce

Desafios legais no e-commerce internacional

 

Notícias AICEP

Crescimento das exportações de bens e serviços portugueses

AICEP

Exportações de bens e serviços registam crescimento de 2,1 por cento em novembro de 2021.

SAGALEXPO ganha força a nível internacional

AICEP

Feira dedicada à exportação de produtos portugueses decorre de 7 a 9 de março, na FIL.

E-commerce B2B e B2C: principais diferenças na abordagem…

AICEP

Fique a par das principais diferenças logísticas entre e-commerce B2B e B2C.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório