Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
07 de Fevereiro 2024
O que é um marketplace vertical e quais as suas vantagens?

Artigo AICEP

Será um marketplace vertical a escolha certa para que a sua empresa se afirme no comércio eletrónico? Para avaliar e decidir, é importante conhecer as características, bem como as vantagens e desvantagens deste modelo.

Existem diferentes tipos de marketplaces, e uma vez que a oferta é tão abrangente e diversificada, pode não ser fácil escolher a melhor solução para concretizar os seus objetivos em termos de comércio eletrónico. Por isso, é fundamental perceber as diferenças entre marketplaces e, sobretudo, as particularidades que podem fazer com que um determinado marketplace seja exatamente o que precisa. 

Se tem um público-alvo bastante definido e produtos criados para um segmento ou nicho de mercado, a opção por um marketplace vertical pode ser uma solução interessante.  

O que é um marketplace vertical? 

Quando se fala em marketplaces, nomes como a Amazon ou o Alibaba parecem incontornáveis, dada a sua dimensão e a diversidade de produtos que vendem.

Um marketplace vertical é o oposto destes gigantes que vendem diferentes categorias de produto. Embora também possa ter centenas ou milhares de vendedores e milhões de clientes, um marketplace vertical concentra-se apenas num setor. 

O foco destes marketplaces está, por isso, num segmento específico de mercado ou produto, o que significa que o potencial cliente não está a fazer compras num grande armazém virtual, onde pode encontrar tudo, mas numa loja especializada em determinado tipo de artigos. 

Exemplos de marketplaces verticais 

Enquanto consumidor, é provável que já tenha recorrido a um marketplace vertical quando procurava um artigo específico. E a verdade é que os maiores marketplaces em cada setor têm já uma dimensão impressionante. 
Por exemplo, no setor da moda de luxo, a Farfetch destaca-se no panorama dos marketplaces verticais. Outros exemplos no setor da moda são a Asos, Showroomprive, About You ou Shein.  

Best Buy, AWS Marketplace, Atlassian Marketplace, Game Marketplace ou Swappie são exemplos de marketplaces verticais no setor da Tecnologia. 

Existem, também, marketplaces no setor agroalimentar ou mesmo no setor da prestação de serviços. 

Vantagens de vender num marketplace vertical

Entre as vantagens de vender um marketplace vertical está o facto de se dirigir a um cliente que procura especificamente aquilo que tem para lhe vender. 

Isto permite criar ofertas apelativas para determinado segmento ou nicho que conhece bem, porque são, afinal, os clientes para quem tem trabalhado. Sabe o que procuram, o que esperam da relação qualidade/preço e quais os produtos mais populares. 

Ao vender para o mercado externo terá, obviamente, clientes com outras expectativas e hábitos, devendo adequar a oferta a essas especificidades. De qualquer forma, já terá uma base de conhecimento que facilitará o processo. 

Vender num marketplace vertical permite, também, personalizar a oferta e criar uma melhor experiência de compra para os clientes. Num marketplace generalista pode não ser dada tanta atenção ao detalhe e à satisfação de necessidades específicas de cada tipo de cliente. Algo que poderá ser mais fácil de conseguir num marketplace setorial.  

Esta curadoria de produtos é igualmente importante para conseguir a fidelização de clientes, um objetivo que pode ser mais difícil de atingir num marketplace horizontal.  

A presença num marketplace setorial facilita também a avaliação da concorrência, permitindo perceber as estratégias e preços que aplicam e o seu impacto no tipo de consumidor que lhe interessa atrair.  

Quais as desvantagens de vender num marketplace vertical? 

A menor dimensão deste tipo de marketplaces reduz o lote de potenciais clientes: pode chegar a menos pessoas do que numa plataforma generalista. No entanto, e como já vimos, este “menos” pode acabar por ser “mais”, já que, à partida, são pessoas que já têm um interesse especial no seu tipo de produto.

Embora a fidelização possa ser mais fácil de conseguir, o potencial de crescimento será menor. Isto é, pode ser difícil chegar a um novo tipo de cliente. O que significa um esforço extra para tentar captar outros segmentos fora do nicho ou segmento em que opera. 

Os marketplaces verticais podem estar mais dependentes da volatilidade do mercado. Uma situação externa (como uma pandemia ou um conflito) pode desviar os consumidores para a compra de outro tipo de artigos, reduzindo as visitas às plataformas especializadas. 

Outra desvantagem é que estará a competir com concorrentes diretos. Mas este desafio pode transformar-se numa oportunidade: se várias empresas vendem o mesmo tipo de produtos, é necessário criar estratégias diferenciadoras que possam captar a atenção do consumidor. 

Para traçar o seu projeto de internacionalização via e-commerce e conhecer as melhores estratégias para vender num marketplace comece por fazer o registo na MY AICEP. Numa primeira fase, a AICEP faz um diagnóstico para perceber qual o nível de preparação da sua empresa para o e-commerce. Depois disso, traça um plano de ação personalizado para que possa começar a exportar.

Veja também:

7 dicas para vender num marketplace

Desafios legais no e-commerce internacional

E-commerce B2B e B2C: principais diferenças na abordagem logística

Notícias AICEP
Como maximizar as vendas online internacionais com o Chat GPT?

AICEP

Usar o Chat GPT no e-commerce pode ajudar a alavancar as suas vendas online. Saiba como.

Incoterms®2020: qual a sua importância na exportação?

AICEP

Os Incoterms®2020 dão segurança jurídica à sua atividade exportadora. Saiba como.

Reputação online: sabe o que dizem os seus clientes?

AICEP

Uma boa reputação online transmite segurança e confiança aos consumidores.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório