Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
17 de Maio 2022

Joint Venture: uma estratégia para investir no estrangeiro

Artigo AICEP

Se pretende internacionalizar o seu negócio, investir no estrangeiro é uma opção a considerar. Por que não uma parceria com uma empresa estrangeira conhecedora do mercado para alcançar novos objetivos em comum? Saiba, então, em que consiste e como funciona a estratégia de Joint Venture.

Joint Venture: em que consiste?

Traduzido à letra, Joint Venture significa literalmente “empreendimento conjunto”. Consiste numa aliança estratégica entre pelo menos duas empresas independentes que repartem o capital social e, consequentemente, o poder de decisão da empresa adquirida ou criada.

Nesta estratégia de internacionalização, a empresa que investe associa-se a pelo menos uma empresa local no mercado externo para compartilhar know-how e conhecimento de mercado. Trata-se, no fundo, de uma cooperação interempresarial, uma união de esforços para alcançar objetivos comuns  durante um determinado período de tempo.

Cada parceiro poderá contribuir com capital, ativos fixos, tecnologia, patentes, mão-de-obra ou outros ativos intangíveis. A reciprocidade do investimento é a característica única que torna esta simbiose tão enriquecedora para as suas partes.

Por que optar por uma estratégia de Joint Venture?

Este tipo de aliança empresarial permite às empresas fazer frente a múltiplos obstáculos. Por exemplo, uma pequena/média empresa tecnológica que pretenda iniciar operações num novo mercado internacional, beneficia em colaborar com o gigante da área nesse mesmo mercado em know how, competências e recursos. 

Além disso, a estratégia de Joint Venture permite mitigar barreiras existentes à internacionalização, sejam elas legais, administrativas ou de outra ordem.

Optar por este tipo de estratégia é um excelente meio de entrar num mercado internacional, desenvolver um novo produto, ou reduzir o risco associado a transações transfronteiriças enquanto, simultaneamente, se criam sinergias e oportunidades de mútua aprendizagem.

Principais vantagens da estratégia de Joint Venture

O objetivo último deste tipo de parcerias é desenvolver uma aliança, um projeto que traga benefícios para todas as partes envolvidas. 

Em que consiste esse objetivo em concreto, e quais as vantagens em específico, depende somente das partes. O que é certo é que através da Joint Venture as empresas poderão:

  • Expandir a atividade e as operações internacionalmente;
  • Aceder com maior facilidade a um mercado externo;
  • Aumentar a competitividade no mercado externo e no mercado doméstico;
  • Beneficiar de economias de escala;
  • Aceder a know-how e conhecimento específico, nomeadamente tecnologia de ponta;
  • Mitigar e partilhar custos e riscos;
  • Superar barreiras aduaneiras e legais;
  • Aceder a recursos e aumentar a capacidade de resposta a novos e diferentes tipos de encomendas;
  • Aumentar a elegibilidade a certos apoios, fundos e contratos governamentais e internacionais que de outra forma seriam vedados.

As desvantagens

À partida, quase tudo nesta estratégia parece muito aliciante desde que se encontre o parceiro ideal. No entanto, tal como qualquer outra investida comercial, tem as suas contrapartidas:

  • Complexidade e morosidade na criação deste tipo de entidades;
  • Custos de pesquisa, investigação e análise de futuros e potenciais parceiros;
  • Riscos financeiros intrínsecos à volatilidade e instabilidade do ambiente político e económico do mercado visado;
  • Diferenças estruturais, empresariais, de direção e gestão entre empresas podem resultar em conflitos futuros;
  • Investimento elevado, uma vez que esta estratégia implica a criação de novas infra-estruturas (fábricas, subsidiárias, filiais entre outras entidades comerciais). 

Posso recorrer à AICEP para avaliar esta estratégia de IDPE para a minha empresa?

As estratégias de internacionalização podem ser uma alavanca para qualquer empresa de qualquer setor. Com a expansão além fronteiras, não só a visibilidade, notoriedade e exposição da marca podem aumentar, como também o volume de negócio, clientela e competitividade.

Por isso, uma estratégia de internacionalização através do Investimento Direto Português no Estrangeiro (IDPE) pode ser uma solução para a sua empresa, sobretudo se já tiver uma atividade exportadora consolidada.

Se está a ponderar uma estratégia de IDPE em Joint Venture, registe-se na MY AICEP e conte com o apoio, experiência e rede de contactos da AICEP para traçar o caminho de crescimento da sua empresa.

 

Veja também:

Criar empresa na Alemanha: o que precisa de saber

Academia AICEP: formar para a internacionalização

Exportação direta ou indireta: qual a mais vantajosa?

Como prospetar e captar clientes estrangeiros?

 

 

Notícias AICEP

12 empresas portuguesas presentes na Feira Playtime Paris

AICEP

A feira de moda infantil Playtime regressa ao Parc Floral em Paris de 2 a 4 de julho.

  • França
  • Moda

Participação portuguesa na feira de tecidos PRECO em Paris

AICEP

Nova edição da feira de tecidos PRECO realiza-se de 29 de junho a 1 de julho em Paris.

  • França
  • Multisetor

Exportar para os Estados Unidos: o que saber

AICEP

Conheça 7 recomendações para exportar para os Estados Unidos.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório