Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
09 de Junho 2022

Factoring internacional: um aliado das empresas exportadoras

Artigo AICEP

O factoring internacional é um instrumento de apoio às empresas exportadoras, permitindo a gestão e cobrança de créditos, antecipação de fundos e a cobertura de riscos comerciais. 

Uma empresa exportadora ou que está prestes a iniciar um processo de internacionalização depara-se com algumas questões que, em certos casos, podem mesmo ser um obstáculo às exportações. Uma das principais é garantir uma boa cobrança dos seus créditos, o que pode ser difícil caso não esteja presente ou não tenha um parceiro no país de destino das exportações.

É justamente este o papel do factoring internacional. Embora se aplique também no contexto da importação, a vertente relacionada com a exportação é a mais interessante para empresas com vocação exportadora. De uma forma simples, pode ser resumido do seguinte modo: a empresa exporta, o cliente recebe a mercadoria e quem faz a cobrança da fatura é a empresa de factoring. 

O que é o factoring internacional de exportação?

O factoring internacional de exportação consiste, assim, na cedência de créditos quando a empresa aderente é nacional e o devedor internacional. 

O processo conta com três intervenientes:

  • Factor ou sociedade de factoring, que é geralmente uma entidade financeira, que vai cobrar os créditos;
  • Aderente, ou seja, a empresa exportadora que tem um contrato de factoring com o factor;  
  • Devedor, isto é, o cliente da empresa exportadora, que tem de pagar os bens ou serviços que adquiriu.

Desta forma, o contrato prevê que o factor, mediante uma remuneração, adquira os créditos do aderente e lhe preste um conjunto de serviços associados à gestão de cobranças.

Assim, além das cobranças e antecipação de créditos, o factoring tem, como veremos, outros serviços complementares, que podem incluir estudos dos riscos de crédito e de apoio jurídico comercial e contabilístico. Estes serviços dependem do factor e do tipo de contrato, pelo que cada empresa deve escolher a solução mais adequada às suas necessidades.

Como funciona?

Ao assinar um contrato de factoring de exportação estará a ceder os seus créditos a curto prazo decorrentes da exportação ao factor

Na prática, ao ceder estes créditos, o exportador apenas terá de se centrar na venda, já que as questões relacionadas com a cobrança ficarão a cargo desta entidade financeira. 

O processo pode resumir-se assim:

1. A sua empresa vende bens ou serviços ao seu cliente e emite respetiva fatura.

2. A empresa cede essa fatura à entidade de factoring.

3. O factor notifica o devedor e efetua a gestão e cobrança da fatura na data de vencimento; pode adiantar à sua empresa o valor total ou parcial da fatura.

4. O seu cliente paga ao factor .

O factoring internacional garante a gestão de pagamentos em quase todo o mundo. Isto porque estas entidades estão “no terreno" ou têm interlocutores locais que agilizam esses processos, aumentando assim a eficácia das cobranças. 

Esta facilidade de movimentação na maioria dos mercados é conseguida porque os factors têm uma relação bilateral com outra entidade semelhante no país (por exemplo, um banco local, que conhece bem a realidade desse país e a forma como funciona o mercado) ou porque pertencem a plataformas internacionais, como a FCI, que agregam factors de vários países. 

O peso institucional das instituições de factoring é, por isso, um argumento importante na garantia dos pagamentos, que permite que a sua empresa possa exportar com mais segurança.

As vantagens do factoring

Umas das vantagens do factoring é o facto de estar acessível tanto a grandes empresas como a PME, permitindo assim que qualquer exportador possa beneficiar desta solução de otimização da tesouraria. O financiamento através do adiantamento sobre as faturas evita eventuais constrangimentos causados pela demora nos pagamentos, e permite que possa fazer uma planificação mais eficaz a nível financeiro.

Além de ajudar na gestão de questões derivadas relacionadas com vendas a crédito e dilatados prazos de pagamento, é importante para a criação de parcerias que agilizam processos no país de destino das exportações. 

Os serviços associados a um contrato de factoring internacional podem incluir, por exemplo, serviços de informações a  nível comercial e contabilístico, apoio jurídico em situações de contenciosos ou a realização de estudos dos riscos de crédito. 

Ou seja, as instituições de factoring dão acesso a uma série de recursos extremamente úteis para empresas exportadoras, evitando que tenham de alocar os seus próprios recursos ou de contratar outras entidades para resolver algumas das questões mais complexas da exportação. A redução dos custos (mesmo ao nível da ocupação de recursos humanos) é, por isso, uma das grandes vantagens desta solução. 

As operações de gestão de créditos são simplificadas, permitindo que a sua empresa se concentre em produzir, vender, procurar novos mercados e traçar planos de internacionalização que garantam o seu crescimento. 

O factoring internacional é, igualmente, uma forma de melhorar a capacidade de financiamento da sua empresa. Com a tesouraria equilibrada e um menor endividamento, será mais fácil demonstrar a solidez necessária perante entidades bancárias ou investidores.  

Outra vantagem é que, mesmo desconhecendo o país de destino da exportação, terá mais segurança nas vendas a crédito, já que a cobrança é efetuada pela instituição de factoring.  

O que deve saber para aderir ao factoring  internacional

Cada entidade tem os seus procedimentos e encargos, mas de acordo com a ALF - Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting, que reúne mais de uma dezena de instituições que prestam este serviço, os procedimentos iniciais são semelhantes.

Assim, terá de contactar uma destas entidades e, para que seja efetuada uma análise de risco, poderá ter de disponibilizar informação contabilística da empresa e a carteira de clientes que pretende passar para factoring. É então montada a operação de factoring. 

Ainda segundo dados da ALF, em 2019 o factoring à exportação apoiou a cobrança de 4,88% do total das exportações nacionais. É, por isso, uma solução que pode considerar se exporta ou se pretende começar a exportar.

Neste processo, é sempre importante contar com parceiros experientes, que ajudem a garantir o sucesso nos mercados internacionais. A AICEP é um deles e tem várias formas de apoiar as empresas exportadoras. Registe-se na área de cliente MY AICEP e dê-nos a conhecer a sua empresa.

Veja também:

Como prospetar e captar clientes estrangeiros?

Sistema REX: o que é e qual a sua importância nas exportações

Quando fazemos o seu projeto de internacionalização online?

 

Notícias AICEP

12 empresas portuguesas presentes na Feira Playtime Paris

AICEP

A feira de moda infantil Playtime regressa ao Parc Floral em Paris de 2 a 4 de julho.

  • França
  • Moda

Participação portuguesa na feira de tecidos PRECO em Paris

AICEP

Nova edição da feira de tecidos PRECO realiza-se de 29 de junho a 1 de julho em Paris.

  • França
  • Multisetor

Exportar para os Estados Unidos: o que saber

AICEP

Conheça 7 recomendações para exportar para os Estados Unidos.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório