Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
11 de Outubro 2022

Exportar para o Brasil: oportunidades do lado de lá do Atlântico

Artigo AICEP

A proximidade afetiva, histórica e cultural entre os dois países é conhecida, mas será que as empresas portuguesas sabem como estreitar relações económicas e beneficiar de todas as oportunidades que podem surgir ao exportar para o Brasil

Se tivermos em conta que este é um dos maiores países do mundo (5º maior em território e o 6º em termos de população), mas que é apenas o 13.º cliente das exportações nacionais (com uma quota de apenas 1,1%), torna-se mais fácil imaginar as oportunidades que podem existir do outro lado do Atlântico.

Exportar para o Brasil: os dados da economia brasileira

O Brasil não é apenas um país populoso e com um vasto território. A sua dimensão em termos económicos é igualmente relevante: é a 12ª maior economia do mundo e a 1ª da América Latina, com um PIB nominal de 1608,4 mil milhões dólares. 

O crescimento económico brasileiro desacelerou devido à pandemia, mas em 2021 o PIB já cresceu 4,6%. Este ano poderá ser menor, devido ao impacto da inflação e das taxas de juro. Ainda assim, o consumo público e privado continua a crescer.

Assim, é natural que continue a existir grande interesse por parte de investidores estrangeiros, sobretudo em setores como as telecomunicações, energias renováveis, petróleo, gás e infraestruturas. O facto de o governo brasileiro incentivar estes investimentos e de o Brasil servir como base para o desenvolvimento de operações na América Latina ajudam igualmente a explicar este interesse. 

O Brasil teve, em 2021, importações no valor de 235 mil milhões de dólares, sendo que 53,9% vieram de apenas cinco países: China, EUA, Argentina, Alemanha e Índia. Máquinas e Aparelhos (25,9% do total), Produtos Químicos (23,5%), Combustíveis Minerais (13,6%), Veículos e Outro Material de Transporte (7,8%) e Metais Comuns (7,3% do total) constituem a maioria das importações brasileiras. 

A balança comercial registou um excedente de 46 mil milhões de dólares em 2021.  

Relação com Portugal

As exportações portuguesas para o Brasil têm descido nos últimos anos a um ritmo médio anual de 6,8% (entre 2017 e 2021). Como as importações têm crescido de forma muito significativa ( 24,9%), a balança comercial é desfavorável a Portugal, registando um déficit de 1837 milhões de euros em 2021.

A presença das empresas portuguesas tem incidido em áreas como o Turismo, Construção e Obras Públicas, Energia, Ambiente, Agroalimentar e Bebidas, Equipamentos e Produtos Industriais, Componentes para a Indústria Automóvel, Tecnologias de Informação e Comunicação, Serviços e Distribuição.  

As exportações de produtos agrícolas representam 44,9% do total das exportações nacionais para o Brasil. Seguem-se os Produtos Alimentares, Veículos e Outro Material de Transporte, Máquinas e Aparelhos e Metais Comuns.  

Quais as oportunidades para exportar para o Brasil?

O facto de os dois países partilharem a mesma língua e de o Brasil ter uma classe média-alta que valoriza produtos estrangeiros e que tem um elevado poder aquisitivo são vantagens para as empresas portuguesas.

Sendo um mercado de perto de 214 milhões de consumidores e que apresenta ainda algumas carências, as oportunidades para as empresas nacionais podem passar por setores como a Saúde, nomeadamente aparelhos, dispositivos e produtos associados à segurança e prevenção de contaminação ou o setor Alimentar, incluindo produtos tradicionais como o azeite e o vinho.

A importação de vinhos portugueses tem, aliás, vindo a crescer, existindo, por parte dos consumidores brasileiros, a perceção da boa relação qualidade/preço. As grandes cadeias de distribuição adotaram um processo de importação direta, em regime de exclusividade, garantindo a importação de grandes quantidades.

As Máquinas e Equipamentos, Tecnologias de Informação e Energia são igualmente áreas que podem proporcionar negócios a empresas que pretendam exportar para o Brasil. 

Por outro lado, o Governo Federal, os Ministérios, Estados e Municípios têm feito diversas ações para captação de investimento privado de forma a alavancar o crescimento, destacando-se oportunidades na área do saneamento e agrobusiness.

Outra vantagem para as empresas nacionais reside no ambiente descontraído da cultura de negócios brasileira, em que se dá muita importância ao estabelecimento de vínculos pessoais.  

O crescimento da economia digital, que foi impulsionado pela pandemia, representa já cerca de ¼ do PIB, pelo que as empresas nacionais que pretendam exportar para o Brasil através do e-commerce vão encontar um mercado com bastante potencial.

Quais os principais desafios?

Entre os obstáculos às exportações para o mercado brasileiro está o chamado “Custo Brasil”, ou seja, um conjunto global de ineficiências que encarecem a produção e o consumo. O protecionismo, infraestruturas precárias, burocracia e a complexidade a nível legal e fiscal podem ser fatores desafiantes para quem pretende exportar ou investir no Brasil.  

Existem, no entanto, alterações legislativas em curso para melhorar o ambiente de negócios no país. O Brasil tem também em curso uma reforma tributária que pode simplificar o sistema fiscal do país. A existência de acordos de cooperação luso-brasileiros poderá ser útil para resolver algumas questões. 

No caso dos Produtos Agroalimentares de Origem Animal e Vegetal, existem acordos entre os dois países que pode consultar no site da Direção Geral da Alimentação e Veterinária. A DGAV disponibiliza também informação sobre os Procedimentos Gerais de Exportação para o Brasil, nomeadamente alimentos de origem animal e não animal, azeite e bebidas não alcoólicas e espirituosas ou vegetais.

Os constrangimentos à exportação e os processos em negociação por país/produto podem ser consultados no site do Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral. 

Ainda no que respeita ao setor Alimentar, é possível esclarecer dúvidas através do  endereço agricultura.brasil@mne.pt, um e-mail da Embaixada de Portugal no Brasil, em articulação com a AICEP local

Como abordar o mercado?  

A abordagem ao mercado brasileiro deve começar pela recolha de informação que permita conhecer a realidade do mercado, mas também os processos, regras de funcionamento, concorrência, canais de distribuição ou legislação, entre outros aspetos.

Além do apoio da delegação da AICEP no país, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal fornece aconselhamento importante às empresas que pretendem exportar para o Brasil. Na MY AICEP terá acesso a ferramentas, conteúdos e funcionalidades exclusivas fundamentais ao processo de internacionalização. Faça o seu registo na área de cliente da AICEP!

Veja também:

O que esperar da AICEP no apoio à exportação?

Quais os mercados com maior potencial de exportação?

Factoring internacional: um aliado das empresas exportadoras

Notícias AICEP

Meios de pagamento internacionais: as opções para empresas

AICEP

Quais os meios de pagamento utilizados no comércio internacional? Conheça os principais.

Exportações são o maior contributo para o crescimento económico

AICEP

Exportações portuguesas, de janeiro a setembro de 2022, representaram 49,9 por cento do PIB.

Espanha premeia transformação digital industrial

AICEP

Advanced Factories, evento espanhol de tecnologia industrial, vai premiar empresas inovadoras.

  • Espanha
  • Multisetor

Partilhe esta página

Campo Obrigatório