Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
18 de Junho 2024
Vender online para a Noruega: um mercado com oportunidades

Artigo AICEP

Se está interessado em vender online para a Noruega, fique a par de dados importantes sobre o mercado e o consumidor digital norueguês.

Se a sua empresa procura um mercado com elevados níveis de poder de compra e digitalização, vender online para a Noruega é uma boa oportunidade para expandir os seus negócios, uma vez que é um país onde o e-commerce tem uma presença sólida.

O comércio online encontra, neste país nórdico, todas as condições para prosperar, sendo os indicadores para o futuro favoráveis. Revela-se, por isso, útil conhecer melhor a realidade digital, bem como as características do consumidor norueguês. 

Vender online para a Noruega: informação de mercado

A Noruega é um país pequeno (com uma população de apenas 5,5 milhões de habitantes), mas tem um elevado potencial em termos de e-commerce, ocupando o 32.º lugar no ranking mundial do setor.

A pandemia levou a um grande crescimento do comércio eletrónico, e o interesse dos noruegueses pelas compras online manteve-se mesmo depois de eliminadas todas as restrições.

A verdade é que a Noruega reúne todas as condições para que o comércio online seja bem-sucedido. Além de um elevado poder de compra, os seus habitantes possuem excelentes competências digitais e estão recetivos à inovação em termos de dispositivos, plataformas e meios de pagamento. 

Digitalização e logística

O Índice de Resiliência Digital mostra que a Noruega tem um ambiente propı́cio aos negócios digitais, ocupando o 22.º lugar, num universo de 115 países, no Enabling Digitalization Index 2020. Possui 5,1 milhões de utilizadores de Internet (93,3% da população) e uma taxa de penetração de smartphones de 97,0%.

Cerca de 90% das empresas norueguesas operam através de páginas online próprias.

A eficiência logística contribui bastante para o sucesso do e-commerce na Noruega, que ocupa o 19.º lugar em termos de Desempenho Logístico Internacional e o 67.º em desenvolvimento postal, com uma rede postal desenvolvida, rápida e altamente conectada.

Os serviços logísticos noruegueses são abrangentes, eficientes e modernos, oferecendo diversas opções de entrega.

E-commerce está em crescimento

O comércio eletrónico na Noruega está em crescimento, tanto no segmento B2B (em que se destacam as plataformas Big Buy, Alibaba e Offshore Norway), como no B2C.

Os marketplaces Elkjop, Komplett, Oda, Apple e Zalando ocuparam, em 2023, os cinco primeiros lugares em termos de vendas líquidas, sendo que os três primeiros representaram, em conjunto, 21,3% do total de receitas. Entre 2022 e 2023, a plataforma com maior crescimento foi a obsbygg.no, que aumentou as suas vendas em 46,5%.

Até 2028, o e-commerce deverá registar um crescimento médio anual de 9,9%, atingindo os 12,69 mil milhões de USD. O facto de este aumento ser inferior à média mundial (10,8%), à da Europa (10,3%) e à da Europa do Norte (10,0%) justifica-se com o elevado grau de maturidade do comércio eletrónico neste país nórdico.

Prevê-se que, num período de quatro anos, 94,8% dos noruegueses efetuem compras online, o que superará bastante as médias mundial (47,4%) e europeia (53,1%). Alimentação e Tabaco deverão ser as categorias com maior crescimento médio anual (15,6% e 15,3%, respetivamente).

O gasto médio anual dos noruegueses em compras online deverá ser de 2 100 USD em 2024 e ter um crescimento, anualmente e em média, de 3,8% até 2028.

Nos próximos anos, os consumidores locais devem aderir, de uma forma mais significativa, a meios de pagamento como a transferência bancária, E‑wallet e E‑invoice, embora continuem a recorrer aos pagamentos com cartão, sobretudo de débito, Visa e MasterCard. 

Atualmente, a Noruega ocupa as 14.ª e 2.ª posições na Europa e na região da Europa do Norte, respetivamente, em termos de volume de compras e-commerce

O consumidor digital noruguês

Na Noruega, as compras online são feitas, sobretudo, a partir do computador. Mais de dois terços dos consumidores digitais têm entre 25 e 54 anos, e 41,8% têm rendimentos elevados.

Na distribuição por género, há uma ligeira vantagem para as mulheres (51,5% contra 48,5%). Moda e Eletrónica são as categorias mais populares.

Os e-consumidores noruegueses demonstram confiança nos meios de pagamento digitais. Recorrem a aplicações móveis como a VIPPS (aplicação local), Apple Pay e PayPal. Já os pagamentos via smartphone efetuam-se, sobretudo, via cartão ou transferência.  

A literacia digital no país é elevada, pelo que os consumidores estão confortáveis com as compras online. Embora sejam recetivos a plataformas estrangeiras (até porque têm um bom domínio da língua inglesa), preferem as lojas nacionais ou sites no seu idioma.

Os noruegueses informam-se sobre os produtos que tencionam adquirir e têm em conta as avaliações feitas por outros consumidores. Valorizam as condições de entrega, a diversidade e a disponibilidade de oferta, bem como as ofertas especiais.

Se pretende vender online para a Noruega, é importante transmitir informação clara sobre os preços e custos de envio. Para cativar o consumidor local deve garantir um prazo de entrega de 3 a 5 dias e disponibilizar a opção Click & Collect.

As boas práticas de sustentabilidade no e-commerce constituem uma preocupação dos noruegueses, pelo que será uma mais-valia promover entregas amigas do ambiente.

A política de devoluções é outro aspeto importante para os consumidores locais, pelo que deve assegurar que é transparente e simples. As devoluções gratuitas são uma mais-valia.

O que saber para vender online para a Noruega?

Embora não pertença à União Europeia (UE), integra o Espaço Económico Europeu, pelo que muitos produtos se encontram isentos de direitos aduaneiros.

Para estar à altura de um mercado competitivo e com consumidores exigentes, as empresas com interesse em vender online para a Noruega podem ponderar a contratação de um sócio comercial local. A promoção de estratégias omnicanal e O2O (Online-to-Offline) é útil neste mercado e também fica a ganhar com parcerias a nível local.

As exportações através do e-commerce têm, além das normas habituais no comércio internacional, particularidades a que as empresas têm de prestar especial atenção. O relacionamento direto com o consumidor final implica que se conheçam regras, nomeadamente as que se relacionam com a privacidade e proteção de dados.

Assim, antes de vender online para a Noruega, seja através de um marketplace ou de loja online, procure obter toda a informação.

Para garantir que a sua empresa tem todos os dados necessários e está realmente preparada para abordar o mercado norueguês consulte a informação de mercado disponível no site da AICEP.

Por sua vez, recursos como a área reservada MY AICEP garantem um acompanhamento mais personalizado. Faça o seu diagnóstico de e-commerce e, com a ajuda da AICEP, trace um projeto de internacionalização online. Registe-se e saiba mais.

 

Veja também:

7 dicas para vender num Marketplace

Loja virtual ou marketplace? Prós e contras de cada solução

Exportar para a suíça: 4 fatores a ter em conta

Notícias AICEP
Quais as principais tendências do e-commerce B2B e B2C?

AICEP

Prepare a sua empresa para o futuro. Conheça as principais tendências no e-commerce B2B e B2C.

Exportar para Itália: um mercado a ter em conta

AICEP

Se pretende exportar para a Itália, fique a par de algumas dicas que podem facilitar o processo.

Como traçar um plano de ação para a internacionalização?

AICEP

Em que consiste? Quais as etapas? Como começar um plano de ação para a internacionalização do…

Partilhe esta página

Campo Obrigatório