Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
24 de Outubro 2023

Vender online para os Países Baixos: como entrar num grande mercado europeu

Artigo AICEP

Um mercado que aprecia a inovação e tem um elevado poder de compra: estas são algumas das razões para vender online para os Países Baixos.  

Se vai internacionalizar o seu negócio através do e-commerce ou reforçar a sua presença neste setor, vender online para os Países Baixos pode ser uma oportunidade a não perder de vista.

As relações comerciais entre Portugal e os Países Baixos intensificam-se e, em 2022, o valor das exportações para este mercado superou os valores anteriores à pandemia. Neste contexto, o e-commerce surge como mais uma oportunidade para as empresas nacionais. Conheça as características deste mercado e o consumidor digital neerlandês.

Países Baixos: uma economia aberta ao exterior

A localização dos Países Baixos é, por si só, um fator que potencia a abertura ao exterior e o comércio internacional, algo que tem sido uma constante ao longo da história deste país.

Com uma economia forte – é a sexta maior da União Europeia e tem um PIB per capita de 57 860 USD – e 17,5 milhões de habitantes, beneficia ainda de boas infraestruturas e de serviços que facilitam a experiência de comprar online.

É também um país bem posicionado nos rankings de competitividade, transparência e facilidade em fazer negócios.

Ambiente digital: razões para vender online para os Países Baixos

Os Países Baixos têm ótimas condições para o desenvolvimento de negócios digitais. Segundo o Índice de Digitalização, o conhecimento (94/100) e as infraestruturas logísticas (92/100), são dois dos pontos fortes deste mercado.

Outros números apelativos para as empresas que pretendem vender online para os Países Baixos são as taxas de penetração de internet (88,2 %, 21,1% acima da média mundial) e de smartphones (88,1%, o que supera em 22,3% a média mundial). Em 2027, estes valores deverão ser ainda mais significativos: 88,4% e 88,3%, respetivamente.

O país regista mais de 15 milhões de utilizadores de internet, ocupando a 3.ª posição no Digital Economy and Society Index 2022 e a 4.ª posição no ranking global Network Readiness Index (em preparação digital). Ocupa o 5.º lugar entre os países com maior taxa de inovação, segundo o Global Innovation Index 2022.

Além das competências digitais da população, existe um grande interesse no e-commerce: em 2021, o país tinha mais de 80 mil lojas online.

O desenvolvimento tecnológico dos Países Baixos, um contexto regulamentar favorável à iniciativa empresarial e a competitividade e variedade do mercado também são fatores apelativos para esta atividade.

Para as empresas portuguesas que estejam ainda numa fase inicial do seu processo de internacionalização através do e-commerce, os Países Baixos podem ser um mercado de teste. Dada a dimensão e a facilidade de deslocação em território neerlandês, é um bom ponto de partida para iniciar este tipo de exportação.

O mercado de e-commerce nos Países Baixos

O mercado de e-commerce nos Países Baixos está em expansão. Prevê-se que, em 2027, as compras de e-commerce dos neerlandeses atinjam 52,99 mil milhões de USD, o que representa um crescimento médio anual de 10% desde 2023.

Em 2022, este valor terá sido de 28.780 milhões de USD, o que coloca o país no 16º lugar em termos de comércio eletrónico.

Calcula-se que 78,4% da população neerlandesa – o equivalente a 13,5 milhões de consumidores – faça compras online. Em Portugal esse indicador está nos 58,2% e tanto a média da Europa Central e Ocidental (77,6%) como a mundial (66,2%) ficam aquém da que se verifica nos Países Baixos.   

Apesar do crescimento do segmento B2B, o B2C é claramente mais expressivo. Na análise ao mercado de e-commerce neerlandês destaca-se ainda a importância do e-commerce transfronteiriço, que em 2021 representou 10% do total.   

As previsões em termos de e-commerce no país indicam que a alimentação será o setor com um crescimento mais acentuado (21,1%); os media e a eletrónica deverão registar o crescimento mais lento. 

O fator logística

Além da literacia digital da população, a importância que o e-commerce tem conquistado nos Países Baixos também se deve à eficiência das estruturas de logística deste país, que estão entre as melhores do mundo.

A existência de máquinas de entrega que funcionam em permanência e de uma das maiores redes de Pick-Up Points da Europa, aliada a um serviço postal moderno e eficaz, permitem entregas em 2 ou 3 dias úteis.

A localização geográfica – perto de França e do Reino Unido – e o facto de albergar o principal porto da Europa, em Roterdão, também contribuem para um elevado desempenho logístico (6.º lugar em 160 países).

Perfil do consumidor de e-commerce

O telemóvel e o computador portátil são os dispositivos mais usados pelos consumidores digitais neendarleses, que preferem websites confiáveis (mesmo que o preço dos produtos seja superior) e com enfoque personalizado.

As mulheres fazem mais compras online do que os homens. Mais de 70% das compras são feitas por pessoas nos escalões de rendimento médio e alto. A maioria dos compradores tem entre 25 e 54 anos.

Para vender online para os Países Baixos é importante conhecer as preferências destes consumidores e adaptar, se necessário, a sua loja online ou estratégia de vendas para ir ao encontro das expectativas deste público.

Além da rapidez da entrega – que não deve ser superior a 6 dias e ser feita no local de trabalho ou domicílio –, o consumidor digital neerlandês valoriza a experiência da compra e as ofertas especiais. Como gosta de se informar sobre os produtos antes da decisão de compra, é importante que o vendedor apresente boas descrições, fotos e vídeos e opiniões de outros consumidores.

Outro fator a ter em conta pelas empresas que desejem agradar a consumidores nos Países Baixos é o apoio ao cliente, que deve estar ativo 24/7 recorrendo a chatbots. Como a percentagem de devoluções é significativa, será conveniente que a sua loja online tenha uma política de devoluções clara e simplificada e, de preferência, sem encargos para o consumidor. 

Os neendarleses são, geralmente, recetivos a novos dispositivos, plataformas e meios de pagamento, mas preferem não pagar no momento da compra.

Oportunidades para vender online para os Países Baixos

Produtos alimentares, vinhos, vestuário e calçado são setores com potencial para o mercado de e-commerce nos Países Baixos.

Os neerlandeses têm apetência pelas compras online, mas, para a sua empresa poder afirmar-se num mercado competitivo e fidelizar clientes, é necessário ter em conta algumas particularidades.

Investir num domínio local (.nl) e num site /plataforma com o idioma do país é importante para obter melhores resultados de pesquisa e tornar a experiência de compra mais pessoal.

Criar campanhas personalizadas com base em dados de pesquisa e utilização, promover estratégias omnicanal, de Click & Collect e O2O e recorrer a redes sociais são oportunidades para se destacar da concorrência e obter mais sucesso.

Se a sua empresa quer crescer através do e-commerce internacional, é fundamental conhecer os mercados mais adequados. A AICEP pode ajudá-lo-á nesta e em todas as etapas do seu processo de internacionalização. Faça o registo na MY AICEP para ter acesso a informações e oportunidades para aproveitar o crescimento do comércio online.

Ver também:

Como começar a exportar passo a passo | Artigos | Portugal Exporta

Como exportar através do e-commerce | Artigos | Portugal Exporta

Desafios legais no e-commerce internacional | Artigos | Portugal Exporta

Notícias AICEP

Vender online para França: o que deve saber

AICEP

Vender online para França é uma boa oportunidade de internacionalização. Conheça o mercado.

Quando fazemos o seu projeto de internacionalização online?

AICEP

Este é o momento para criar ou reforçar o projeto de internacionalização online da sua empresa.

Como vender no eBay: vantagens, custos e guia de procedimentos

AICEP

Saiba como funciona e quais as vantagens de vender no eBay.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório