Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
15 de Novembro 2022

Sistema Harmonizado: o que é e para que serve?

Artigo AICEP

Permitir que os produtos possam ser facilmente identificados em qualquer alfândega, aplicando-lhes também  a tributação adequada, são os principais objetivos do Sistema Harmonizado.  

O Sistema Harmonizado é uma das convenções internacionais elaboradas pela Organização Mundial das Alfândega para melhorar a eficácia das administrações aduaneiras. 

Este código identificativo, comum a vários países do mundo, funciona, no fundo, como um “idioma” internacional, o que faz com que as autoridades alfandegárias e aduaneiras de determinado país fiquem imediatamente a saber o tipo de mercadoria que está a circular.

Para as empresas exportadoras, é essencial garantir a utilização do código correto nas suas transações internacionais, o que permite poupar tempo e dinheiro. 

O que é o Sistema Harmonizado? 

A Convenção Internacional sobre o Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de Mercadorias, também conhecida como Sistema Harmonizado, SH, HC, HTS, código de mercadoria ou tarifa, entrou em vigor a 1 de janeiro de 1988. 

Esta estrutura de classificação de mercadorias é uma forma de identificar com precisão um produto, sendo utilizada uniformemente pelas autoridades aduaneiras em todo o mundo como base para as pautas aduaneiras e recolha de dados estatísticos.

A ideia é que todos os países que utilizam este sistema classifiquem um determinado produto com a mesma secção, capítulo, posição e subposição. Ou seja, com um mesmo código.

Os códigos do Sistema Harmonizado têm de ser regularmente atualizados, de forma a acompanhar a evolução tecnológica e o aparecimento de novos produtos. As últimas alterações constam neste documento da Organização Mundial das Alfândegas. 

Como é feita a classificação?

A classificação geral abrange cerca de cinco mil categorias de produtos com seis dígitos (iguais em 183 países), que são organizados numa estrutura hierárquica por:

  • Secções;
  • Capítulos (2 dígitos);
  • Posições (4 dígitos);
  • Subposições (6 dígitos).

As mercadorias são, assim, classificadas numa ordem progressiva de complexidade, tendo sempre em conta o seu grau de acabamento ou a sua situação no processo de fabrico.

Para melhor percebermos esta sistematização, vejamos este exemplo de classificação de um produto apresentado pelo portal Access2Markets:

Secção II produtos do Reino vegetal
      capítulo 07 produtos hortícolas, plantas, raízes e tubérculos, comestíveis
            rubrica: 0705 alface (laatual) e chicória (cichorium spp.), frescas ou refrigeradas
                  alface
                        sub-rubrica 070511: repolhuda
                        sub-rubrica 070519: outros
                  chicória
                        sub-rubrica 070521: witloof (Cichorium intybus var. foliosum)
                        sub-rubrica 070529: outros

E a Nomenclatura Combinada: o que é?

 Na União Europeia (UE) é usada a Nomenclatura Combinada (NC), que é um sistema de codificação de oito dígitos que inclui os códigos do Sistema Harmonizado (SH) com outras subdivisões da UE. 

Esta nomenclatura serve a pauta aduaneira comum e tem ainda como objetivo fornecer estatísticas para o comércio intracomunitário e entre a UE e o resto do mundo.

Para perceber como funciona, pode consultar este documento que inclui notas explicativas sobre cada categoria de produtos.  

A importância do Sistema Harmonizado

A utilização do código correto é fundamental para garantir que estão a ser pagos os impostos e as taxas certas. De uma classificação incorreta poderão resultar situações como a cobrança dos impostos em falta, sanções, coimas ou apreensão e destruição de mercadorias. 

O falseamento de dados estatísticos e  a distorção do preço dos produtos são outras possíveis consequências destes lapsos. 

Dada a importância desta classificação e de outros procedimentos relacionados com a exportação, será sempre útil poder contar com acompanhamento especializado. A AICEP apoia as empresas nacionais na sua internacionalização e, através da área de cliente MY AICEP fornece informação útil e detalhada sobre os temas mais relevantes nesta matéria.

Veja também:

EORI: o que é e para que serve

Sistema REX: o que é e qual a sua importância nas exportações

Exportação de A a Z: um guia para descodificar o comércio internacional

 

Notícias AICEP

Meios de pagamento internacionais: as opções para empresas

AICEP

Quais os meios de pagamento utilizados no comércio internacional? Conheça os principais.

Exportações são o maior contributo para o crescimento económico

AICEP

Exportações portuguesas, de janeiro a setembro de 2022, representaram 49,9 por cento do PIB.

Espanha premeia transformação digital industrial

AICEP

Advanced Factories, evento espanhol de tecnologia industrial, vai premiar empresas inovadoras.

  • Espanha
  • Multisetor

Partilhe esta página

Campo Obrigatório