Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
14 de Março 2024
Vender para os Países Baixos: conheça as oportunidades

Artigo AICEP

Artigo elaborado em março de 2023.

Vender para os Países Baixos permite aproveitar as vantagens criadas pela localização estratégica, solidez económica e novos hábitos de consumo. É, por isso, um mercado a ter em conta, quer a sua empresa esteja a iniciar o processo de internacionalização, quer procure diversificar os países de destino das suas exportações. 
 
A situação privilegiada de placa giratória do comércio europeu e de centro de distribuição de bens e capitais da Ásia e EUA é um dos pontos mais apelativos deste mercado. Embora a balança comercial entre Portugal e os Países Baixos penda para o lado neerlandês, este país está no top 10 das exportações nacionais, pelo que há um relacionamento comercial que pode ser intensificado. 

Quais as vantagens de vender para os Países Baixos?

Além da posição geográfica estratégica, que pode permitir chegar a outros mercados, os Países Baixos beneficiam de um elevado poder de compra, com um PIB per capita de cerca de 59 307 dólares e um crescimento do PIB que, embora afetado pela guerra na Ucrânia, deverá ter-se situado em 4,3% em 2022.

As estimativas do crescimento do consumo privado (6,2%) e da baixa taxa de desemprego (3,8%) são, igualmente, indicadores de uma economia sólida. Com cerca de 17,5 milhões de habitantes, é um país com um elevado nível de abertura económica ao exterior

Além do baixo risco económico, os Países Baixos estão extremamente bem posicionados nos rankings de transparência, competitividade e liberdade económica.

Os maiores exportadores para os Países Baixos

As importações feitas pelos Países Baixos incidem sobretudo em 5 tipos de produtos:  Máquinas e Aparelhos (24,3% do total em 2021), Combustíveis Minerais (15,9%), Produtos Químicos (12,4%), Produtos Agrícolas (8,2%) e Metais Comuns (6,6%).

Em 2021, quase metade das importações (48,7%) concentraram-se em 5 países: Alemanha (17,4% do total), China (10,2%), Bélgica (9,9%), EUA (7,6%) e França (3,6%).

A relação com Portugal

Portugal não está entre os maiores fornecedores dos Países Baixos, mas estes foram, em 2021, o 7º cliente das exportações nacionais de bens, com uma quota de 3,9% no total. Este foi também o valor do crescimento médio anual das exportações para este país no período 2017-2021. Apesar do incremento das exportações, o saldo da balança comercial é desfavorável a Portugal, registando um défice de 1 955 milhões de euros em 2021.

Combustíveis Minerais (10,8% do total em 2021), Produtos Agrícolas (10,6%), Calçado (10%), Pastas Celulósicas e Papel (8%) e Plásticos e Borracha (8%) foram as principais mercadorias expedidas para os Países Baixos. Em sentido inverso chegaram sobretudo Máquinas e Aparelhos (25,3% do total em 2021), Produtos Químicos (20,6%), Produtos Agrícolas (12,8%), Plásticos e Borracha (8,1%) e Instrumentos de Ótica e Precisão (6,3%).

Que oportunidades há para as empresas portuguesas?

Habitação e utilities, transportes, produtos alimentares e lazer são áreas de interesse para os neerlandeses e tem-se registado um crescimento no consumo em setores como mobiliário, utilidades domésticas, bricolage, lazer, restauração, vestuário, veículos e serviços médicos.

Os consumidores dos Países Baixos revelam, por outro lado, um interesse crescente em produtos e serviços caracterizados por facilidade de utilização, preocupação com a saúde e  sustentabilidade. As compras online estão, igualmente, a registar um maior interesse, o que pode ser uma boa oportunidade para empresas que pretendam exportar através do e-commerce. Se pretende vender online para os Países Baixos consulte a informação de mercado no site Portugal Exporta da AICEP.

Áreas como as tecnologias do ambiente, saúde, tecnologias de informação, produtos alimentares, vinhos, vestuário, calçado ou moldes para plásticos têm, assim, oportunidades neste mercado europeu. 

O que saber para vender para os Países Baixos? 

Para fazer negócios com os Países Baixos há que ter em conta uma cultura caracterizada pela postura direta e frontal, informalidade no tratamento e total respeito pela vida privada. As decisões tendem a ser tomadas com base em consensos e podem ser demoradas. 

O facto de ser um país multilingue é vantajoso, até porque o inglês é muito utilizado. Além da inovação, empreendedorismo e elevado poder de compra, é um país com uma forte consciência ambiental, o que constitui uma mais-valia para empresas que apostam em soluções sustentáveis. 

Entre os principais desafios deste mercado estão o facto de ser muito aberto e altamente competitivo e de ter um elevado nível de concentração da distribuição. Ao definir a política de preços, as empresas devem ter em conta que este país tem uma grande presença de cadeias discount, existindo uma forte pressão para redução das margens. 

Como obter mais informação sobre os Países Baixos?

O facto de os Países Baixos pertencerem à União Europeia facilita o processo de exportação, mas será sempre necessário verificar o cumprimento de requisitos que dizem respeito a certas categorias de produtos. Pode obter alguma informação através do portal Access2Markets.

O registo na área de cliente MY AICEP dá acesso a informações detalhadas sobre este e outros mercados, bem como a ferramentas úteis para avaliar as melhores opções de internacionalização. 

Veja também:

A AICEP opera em 55 mercados: conheça a nossa rede externa

Acordos de Comércio Livre da UE: quais são e quais as vantagens?

O que esperar da AICEP no apoio à exportação?

 

Notícias AICEP
O que esperar da AICEP no apoio à exportação?

AICEP

Todas as vantagens de registar a sua empresa na área de cliente MY AICEP.

Quais as principais tendências do e-commerce B2B e B2C?

AICEP

Prepare a sua empresa para o futuro. Conheça as principais tendências no e-commerce B2B e B2C.

Exportar para Itália: um mercado a ter em conta

AICEP

Se pretende exportar para a Itália, fique a par de algumas dicas que podem facilitar o processo.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório