Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
01 de Junho 2020

Tendências & Oportunidades: Mercado francês da cibersegurança deverá crescer em resposta ao aumento de ataques informáticos

AICEP

França

Os ataques informáticos verificam-se no mercado Francês cada vez com mais frequência desde há vários anos e é uma tendência que se tem intensificado com a pandemia COVID-19. Em 2019, 7 em cada 10 empresas francesas admitiram terem sido vítimas de algum tipo de fraude através da Internet e para 1 em cada 3 casos o ataque resultou em perdas de mais de 10.000 euros (L’Usine Digitale, 2020).

Segundo um estudo da Euler Hermes e da Réseau des Directeurs Financiers et de Contrôle de Gestion, a forma de crime online mais utilizada em França é o roubo de identidade onde a situação mais frequente é um falso fornecedor (48 por cento das empresas inquiridas no estudo vítimas de crimes online revelaram ter sido expostas a esta prática em 2019), seguida de falso dirigente de empresas (38 por cento), falso prestador de serviços (contabilista, advogado e notário) (31 por cento) e por fim os falsos clientes (24 por cento). A intrusão em sistemas de informação foi praticada em 29 por cento dos inquiridos.

Com a pandemia COVID-19 e a utilização massiva do teletrabalho, que muitas vezes é realizado através de computadores pessoais com fraco nível de segurança, a intrusão em sistemas de informação tornou-se mais recorrente em França (Le Figaro, 2020). Os casos mais mediáticos durante a pandemia foram os ataques à rede hospitalar de Paris (L’Usine Digitale, 2020) e à Câmara Municipal de Toulouse (Franceinfo, 2020). Relativamente à fraude diretamente a consumidores, as tentativas de phishing aumentaram 400 por cento apenas na primeira semana de confinamento (Le Parisien, 2020).

Desde 2015 que o governo francês assumiu a ambição de tornar a França num gigante mundial da cibersegurança e diversas iniciativas têm sido concretizadas a fim de desenvolver o setor (Ministère de l’Europe et des Affaires étrangères, 2020). Após ser avaliado em 4 mil milhões de euros em 2015 (Ministère de l’Europe et des Affaires étrangères, 2015), o setor da cibersegurança francês representou em 2019 28 mil milhões de euros (Les Echos, 2020). O objetivo do governo francês é que este setor duplique o volume de faturação até 2025 criando cerca de 75.000 empregos (Les Echos, 2020).

A tendência de crescimento deste setor deverá acentuar-se ainda mais após a pandemia COVD-19 e representa uma oportunidade para todas as empresas portuguesas de cibersegurança. Para além do forte apoio institucional que se verifica em França, regista-se também uma falha de mercado a este nível: apesar das empresas francesas sofrerem ataques informáticos com bastante frequência, apenas 4 em 10 empresas admitiram contratar serviços de cibersegurança em 2019 (L’Usine Digitale, 2020).

Mais informações sobre este assunto podem ser obtidas junto da Delegação da AICEP em Paris.

Campo Obrigatório