Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
29 de Maio 2024
E-Commerce na Europa e Portugal: breve diagnóstico

Saber Vender Online

O e-commerce permite às empresas estabelecerem a sua presença no mercado nacional e estenderem as suas atividades económicas para além das fronteiras de forma mais fácil e rápida.

Além disso, tem o potencial de reformular o mercado único europeu para empresas e consumidores privados, permitindo comparações de preços e produtos num ambiente de mercado sem fronteiras.

Mercado europeu

O mercado europeu, em particular os mercados da União Europeia (UE), é uma primeira boa aposta para a internacionalização através do e-commerce.

As compras online (compras efetuadas à distância, utilizando a Internet) transfronteiriças podem ser um indicador do bom funcionamento do mercado único do comércio eletrónico, e da medida em que os consumidores fazem uso de escolhas mais amplas e por preços mais baixos.

E-commerce: uma tendência crescente

Na UE, no período de 2011 a 2020, a percentagem de empresas que realizaram vendas eletrónicas aumentou de 16 % para 22 %, segundo o E-commerce statistics, Eurostat, Statistics Explained. Da mesma forma, o volume de negócios das empresas gerado a partir de vendas eletrónicas aumentou 6 pontos percentuais (p.p.), de 14 % em 2011 para 20 % em 2020.

Em 2020, quase todas as empresas da UE com vendas pela Internet (19%) afirmaram que vendiam para clientes no seu próprio país, enquanto apenas 8% das empresas faziam vendas pela Web para outros países da UE. As maiores percentagens de empresas da UE, em 2020, com vendas pela web para outros países da UE registaram-se na Áustria (15%), seguida por Malta, Bélgica, Países Baixos e Eslovénia (12% em todos estes países). Em contraste, as vendas na Web para outros países da UE foram mais baixas na Bulgária (3%) e na Roménia (4%).

Volume de negócios gerados por e-commerce

O volume de negócios gerado pelas vendas eletrónicas varia significativamente em função da dimensão das empresas.

1

Fonte: E-commerce statistics, Eurostat, Statistics Explained

Marketplaces

87% das empresas da UE com vendas online usaram, em 2020, os seus próprios sites ou aplicações móveis e 45% usaram um marketplace (lugares onde se vendem bens ou serviços de várias marcas) de comércio eletrónico. A percentagem mais elevada de empresas com vendas na Internet através dos seus próprios websites ou aplicações foi registada na República Checa e na Finlândia (ambos 98%), enquanto a percentagem mais baixa se verificou na Lituânia (47%). A Finlândia (19 %), a República Checa (21 %) e a Dinamarca (24 %) observaram as percentagens mais baixas de vendas na Internet através de marketplaces. Por outro lado, as vendas na Internet por meio de marketplaces foram mais comuns na Lituânia (66%), Itália (63%) e Alemanha (58%).

E-shoppers

Na perspetiva dos consumidores que fazem compras online (e-shoppers), e que tem implicações na internacionalização através do e-commerce, há que notar que os compradores online da UE, desde os 25 até aos 74 anos, preferem comprar em lojas online dos seus próprios países, de acordo com o E-commerce statistics for individuals, Eurostat, Statistics Explained.

Diagnóstico das empresas portuguesas

Código de Atividade Económica (CAE) 47910

No que respeita à obrigatoriedade de uma empresa que vende online ter um Código de Atividade Económica (CAE) 47910 - Comércio a retalho por correspondência ou via Internet, e de acordo com a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), constata-se que:

  • Se estivermos perante um empresário em nome individual, este tem todo o interesse em ter o CAE 47910, por ter uma taxa de tributação em IRS inferior aos CAE de prestação de serviços;
  • No caso das sociedades, o que é obrigatório é que o objeto da sociedade contenha a informação de que a empresa irá fazer vendas online, informação que pode ser confirmada na certidão permanente. Assim, os CAE que constam no cadastro do Portal da AT de uma dada empresa poderão não contemplar o CAE 47910, desde que o objeto da sociedade esteja atualizado.

Apesar de as empresas não serem obrigadas a ter o CAE 47910 para venderem online, este não deixa de ser um bom indicador do número de empresas portuguesas que vendem através da Internet.

2

Fonte: Questionário de diagnóstico das empresas portuguesas.

Onde compram os e-shoppers nacionais?

3

 

Fonte: CTT E-commerce Report 2021.

4

O gráfico seguinte mostra a distribuição setorial destas 7135 empresas.

Número de empresas que vendem online nos diferentes setores de atividade com CAE (47910)

5

Fonte: Base de dados Racius.com 2012 a 2022.

Questionário de diagnóstico das empresas portuguesas - metodologia

Entre agosto e setembro de 2022 foi efetuado um questionário às empresas portuguesas com vista ao apuramento do diagnóstico do e-commerce cross-border em Portugal, que abordava as várias áreas de intervenção associadas ao e-commerce internacional. O inquérito foi respondido por 169 empresas. Foram, ainda, realizadas oito entrevistas através de videochamada.

Estas duas ferramentas de auscultação das empresas permitiram compilar os principais constrangimentos enfrentados pelas empresas portuguesas na exportação através do e-commerce.

Modelo de negócio das empresas analisadas

6

Fonte: Questionário de Diagnóstico das Empresas Portuguesas.

Achou o conteúdo desta página útil?

Obrigado pelo seu feedback!

Campo Obrigatório