Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório

Visita do Importador polaco de produtos farmacêuticos – DELFARMA

Polónia
  • Ação gratuita
  • Farmacêutico
  • Lisboa e/ou Porto
  • 19 de Outubro 2022 a 20 de Outubro 2022

A AICEP organiza a visita a Portugal de um importador polaco de produtos farmacêuticos, DELFARMA, a decorrer entre os dias 19 e 20 de outubro de 2022, para um programa de reuniões B2B.

A DELFARMA é um dos mais importantes grossistas farmacêuticos no mercado polaco de medicamentos sujeitos a receita médica e não sujeitos a receita médica, suplementos de dieta, nutracêuticos e dispositivos médicos.

Com uma vasta carteira de produtos no seu portefólio, a DELFARMA fornece farmácias, centrais de compras e hospitais, e as suas vendas ascendem a mais de 26 milhões por ano. A empresa importa dos seguintes mercados: Áustria, Bélgica, Bulgária, França, Grécia, Espanha, Holanda, Lituânia, Letónia, Alemanha, Noruega, Portugal, República Checa, Roménia, Hungria e Rússia.

Nota: a inscrição está sujeita à validação do interesse da DELFARMA em reunir com a sua empresa.

Inscrição está sujeita à validação do interesse da Delfarma em reunir com a sua empresa.

Sobre o mercado farmacêutico da Polónia

O mercado farmacêutico polaco tem vindo a crescer, sendo o maior mercado do Centro Leste Europeu e o sexto maior da Europa, a seguir à Alemanha, França, Espanha, Itália e Rússia.

O setor farmacêutico é um dos setores mais fortes da economia polaca, tendo contribuído com mais de 7,3 mil milhões de euros para o PIB polaco, o que representa 1,3% do mesmo e 1,7% das exportações polacas, assegurando 100 mil postos de trabalho.

As vendas anuais de medicamentos na Polónia ascendem, em média, a 6,6 mil milhões de euros e cerca de 60% das vendas são constituídas por medicamentos sujeitos a receita médica. As importações polacas de medicamentos cresceram 25,9% nos anos 2015–2019, de 4,6 mil milhões para 5,8 mil milhões de euros.

Os principais fornecedores são: Alemanha, França, Irlanda, Rússia, Itália, Hungria, Holanda e Suíça. As importações de Portugal apresentam uma tendência crescente desde 2016, tendo passado de 7,7 milhões de euros para 14 milhões, em 2019.

Organização

  • AICEP

Partilhe esta página

Campo Obrigatório