Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
23 de Dezembro 2021

Unicórnios portugueses ganham destaque em 2021

AICEP

TIC

Portugal conta já com sete unicórnios portugueses e, só em 2021, nasceram quatro unicórnios com ADN português, que são empresas que atingiram uma avaliação de mercado de pelo menos mil milhões de dólares. Os unicórnios portugueses são assim a Farfetch, a OutSystems, a Talkdesk, a Feedzai, a Remote, a SWORD Health e, mais recentemente, a Anchorage Digital.

Atualmente, Portugal já tem mais unicórnios que Espanha, Grécia e Itália juntos. O nosso país está a ficar conhecido como um país unicórnio, o que contribui para aumentar a notoriedade de Portugal no mundo. Além disso, os unicórnios são uma forma de garantir o posicionamento de Portugal na Europa como um hub tecnológico. A qualidade do talento e a aposta constante nos mercados externos são consideradas as principais razões para o sucesso junto dos investidores.

Em conjunto, os unicórnios nacionais já valem mais de 38,6 mil milhões de dólares. A Farfetch lidera o ranking, com uma capitalização bolsista na ordem dos 11,6 mil milhões de dólares, seguida da Talkdesk (com uma avaliação de 10 mil milhões de dólares), da Outsystems (9,5 mil milhões de dólares), da Anchorage Digital (três mil milhões de dólares), da Sword Health (mais de dois mil milhões de dólares), da Feedzai (1,5 mil milhões de dólares) e da Remote (mil milhões de dólares).

A nível mundial, o número de unicórnios que existe nos dias de hoje é o maior de sempre e as startups portuguesas estão, sem dúvida, a contribuir para isso. Existem 832 startups e scaleups que são unicórnios de capital privado em todo o mundo e a expectativa é que o número de unicórnios a nível global ultrapasse o milhar muito brevemente. Só em 2021 já ascenderam à categoria de unicórnio mais de 35 empresas.

A grande maioria dos unicórnios vale entre mil e cinco mil milhões de dólares, 794 das empresas consideradas estão neste intervalo. Outras 37 já conseguiram ascender ao estatuto de decacórnio, sendo uma delas portuguesa, a Farfetch, e há apenas um hectacórnio.

Fique a par do percurso de cada um destes unicórnios portugueses, que estão a ajudar a colocar Portugal na rota dos investidores.

Farfetch

O primeiro unicórnio de todos com sangue nacional foi a Farfetch, fundada por José Neves, e que entrou na bolsa de valores de Nova Iorque em setembro de 2018. O estatuto de unicórnio foi obtido no início de março de 2015, depois de a Farfetch ter concluído uma ronda de investimento de 86 milhões de dólares.

Entre Guimarães e Londres, José Neves criou uma plataforma para vender moda de luxo em todo o mundo a partir da Internet, numa altura em que estas compras eram todas feitas praticamente a partir das boutiques da rua. Mas como o modelo não era suficiente, o português começou a pensar na criação de tecnologia para estes espaços, como a loja no futuro ou o serviço de entregas de roupa de luxo em apenas 90 minutos.

OutSystems

O segundo unicórnio com ADN português foi a OutSystems, fundada por Paulo Rosado, que atingiu este estatuto em 2018. A empresa, que é líder de mercado no desenvolvimento de software low-code, aplicação onde é utilizado o mínimo de código possível, já elevou a sua avaliação para 9,5 mil milhões de dólares.

Com sede em Atlanta, nos Estados Unidos da América, a OutSystems conta com clientes em 52 países e emprega cerca de 800 pessoas. Além disso, tem instalações em Linda-a-Velha, Proença-a-Nova, Braga, Boston, Atlanta, Utrecht, Londres, Dubai, Sydney, Tóquio, Hong-Kong e Singapura.

Talkdesk

Nascida em Lisboa em 2011, pelas mãos de Cristina Fonseca e o Tiago Paiva, a Talkdesk tem uma avaliação de 10 mil milhões de dólares, atingida após uma ronda de investimento de 230 milhões de dólares.

A Talkdesk é uma plataforma para as empresas puderem personalizar o atendimento telefónico aos seus clientes. Com escritórios em Portugal e nos Estados Unidos da América, pretende continuar a conquistar grandes empresas como clientes.

Feedzai

Em março de 2021, a Feedzai, fundada por Nuno Sebastião, levantou uma ronda Série D de 200 milhões e ganhou o estatuto de unicórnio, tendo visto a sua avaliação subir para mais de mil milhões de dólares.

A empresa, que desenvolve tecnologia para ajudar bancos e outras empresas financeiras a prevenir fraudes em pagamentos, lavagem de dinheiro e outros tipos de iniciativas ilícitas, através de inteligência artificial e machine learning, vale cerca de 1,5 mil milhões de dólares.

Remote

A Remote também se tornou unicórnio em 2021, ao fechar uma ronda de financiamento de 150 milhões de dólares em julho. A empresa ficou a valer mais de mil milhões de dólares e tornou-se oficialmente um unicórnio.

Fundada em janeiro de 2019 por Marcelo Lebre e Job van der Voort, a Remote é uma startup com ADN português que ajuda as empresas a simplificar os processos de contratação em ambiente remoto.

SWORD Health

Fundada em 2015 pelo português Virgílio Bento, a SWORD Health é um dos novos unicórnios que surgiu em 2021, ao fechar uma ronda de investimento série D de 189 milhões de dólares. Após esta operação, a startup portuguesa, que criou a primeira solução digital para o tratamento de patologias músculo-esqueléticas, ficou avaliada em mais dois mil milhões de dólares.

Anchorage Digital

A Anchorage Digital, que levantou 350 milhões de dólares, elevando a sua avaliação para três mil milhões de dólares, é responsável pela criação do primeiro banco de criptomoedas do mundo, permitindo às instituições participarem no universo dos ativos digitais. Inicialmente, a empresa estava pensada para ser um serviço de custódia de criptomoedas, mas alargou o leque de serviços cripto.

Fundada por Diogo Mónica nos Estados Unidos da América, a Anchorage Digital é a sétima startup com ADN nacional a atingir o estatuto unicórnio e a primeira cripto nativa com cores nacionais. Com esta nova injeção de capital, o unicórnio planeia melhorar as suas soluções de infraestruturas, especificamente para empresas financeiras globais e fintech inovadoras.

Notícias AICEP

Crescimento das exportações de bens e serviços portugueses

AICEP

Exportações de bens e serviços registam crescimento de 2,1 por cento em novembro de 2021.

SAGALEXPO ganha força a nível internacional

AICEP

Feira dedicada à exportação de produtos portugueses decorre de 7 a 9 de março, na FIL.

E-commerce B2B e B2C: principais diferenças na abordagem…

AICEP

Fique a par das principais diferenças logísticas entre e-commerce B2B e B2C.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório