Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
16 de Abril 2020

Reino Unido: Coronavírus - Pedido de resgate ao setor aeronáutico

AICEP

Reino Unido
Aeronáutica

Rolls-Royce e Airbus, duas das maiores fabricantes aeroespaciais do mundo, estão a pressionar o governo do Reino Unido por um pacote de resgate de 500 milhões de libras à Virgin Atlantic. Este pacote, baseado em empréstimos comerciais e garantias de pagamento, ajudaria a empresa a acautelar os efeitos devastadores provocados pela pandemia, protegendo a empresa e o setor.

Representantes das duas fabricantes britânicas salientaram junto do secretário de estado dos transportes, Grant Shapps, a importância da Virgin Atlantic nas suas cadeias de distribuição. Quem também não ficou indiferente a este pedido de resgate, foi o aeroporto de Heathrow, que se colocou ao lado de Rolls-Royce e Airbus no apelo ao governo britânico.

Warren East, Diretor Executivo da Rolls-Royce, destaca a importância da Virgin para a Rolls-Royce, para a sua rede de distribuição e para as suas operações de fabrico. Em paralelo, John Harrison, membro do conselho de administração e consultor jurídico da Airbus, teme que o colapso da Virgin seja extremamente prejudicial para o programa de aviação A330 da fabricante e espera que o governo faça os possíveis para apoiar a mesma. O fundador da transportadora, Richard Branson, já prometeu injetar 250 milhões de libras no Virgin Group, em que parte do valor irá para a companhia aérea.

Contudo, os ministros do Reino Unido mostram-se relutantes em apoiar a Virgin Atlantic, quiçá por força de algumas questões por esclarecer sobre situação fiscal do seu fundador. Para além disso, existe o receio do impacto que este resgate poderá ter no ambiente. Um grupo de 26 organizações de sociedade civil tem pressionado o Chanceler do Tesouro, Rishi Sunak, referindo que qualquer apoio estatal às companhias aéreas deve ser prestado com condições rigorosas, para que as consequências no ambiente sejam minimizadas. Em resposta, tanto a Rolls-Royce como a Airbus realçam o papel determinante da Virgin Atlantic no objetivo da indústria de aviação do Reino Unido em atingir a neutralidade carbónica até 2050, afirmando que a Virgin é um parceiro crucial na promoção de utilização de combustíveis aéreos sustentáveis.

A indústria aeronáutica não é a única a pedir ajuda. O Departamento de Tesouro do Reino Unido tem recebido diversos pedidos de apoio estatal, mas as entidades oficiais avisam para que ninguém espere resgates específicos a cada setor. Não obstante, indústrias como a de jardinagem, energia, metalúrgica, entre outras, apelam ao governo. A indústria metalúrgica, por exemplo, confessa que a liquidez está a acabar para um setor que já estava com dificuldades mesmo antes da crise do coronavírus.

Rishi Sunak afirma que há limites para o quanto o governo consegue salvar empresas em dificuldade. Com tantas organizações a necessitar de ajuda, espera-se que as mesmas façam todos os possíveis para preservar cash-flow a fim de maximizar liquidez, uma vez que já foram postas em prática várias medidas de apoio. Ainda assim, Sunak já confirmou que 60 mil milhões de libras serão usadas para manter a economia estável durante a maior adversidade que esta enfrenta, em gerações. O governo já começou a ajudar companhias ferroviárias e está a disposto a fazer o mesmo por empresas de transporte rodoviário de forma a manter os transportes essenciais de passageiros ativos.

Campo Obrigatório