Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
10 de Dezembro 2020

Portugal Ventures - Balanço Atividade 2020

AICEP

Portugal

Em consequência da crise pandémica, num enquadramento económico desfavorável à criação de novos negócios, de grande incerteza financeira e pouco propenso a novos investimentos, a Portugal Ventures foi chamada a intervir para apoiar empreendedores e startups que, de forma abrupta, viram estagnar os seus negócios.

Através da criação de 3 instrumentos de financiamento – Call INNOV-ID, Call Fostering Innovation in Tourism e Operação Follow-ons -, e em resposta às medidas lançadas pelo Governo, a Portugal Ventures investiu, à data, em 12 novas startups, estando a decorrer o processo de investimento em 47 novos projetos.

Em face das necessidades sentidas pelos efeitos da pandemia nas micro e pequenas empresas, e atenta ao que o ecossistema ia pedindo, com o lançamento da Call INNOV-ID, a Portugal Ventures cobriu uma falha de mercado ao adaptar a sua estratégia de investimento para integração de startups em fase pre-seed no seu portefólio, cuja tecnologia está já desenvolvida, mas que se encontram ainda em fase de protótipo, prova de conceito ou em validação de product-market-fit.

Dado que tinham o propósito específico de apoiar as startups e os empreendedores a ultrapassar as dificuldades sentidas pela pandemia, a dinamização das Calls contou com um esforço conjunto das suas Redes de Parceiros de Ignição e de Parceiros de Capital, para a identificação de projetos maduros, capazes de receber um investidor de capital de risco, e de projetos que, pelo seu potencial de crescimento e capacidade em ultrapassar as adversidades da pandemia, necessitavam de obter reforço de capital para dar continuidade aos seus negócios.

Em menos de 2 meses, foram recebidas mais de 150 candidaturas às iniciativas lançadas, mobilizando mais de 36 parceiros de ignição, com projetos distribuídos pelos vários setores de atividade, oriundos de todo o país, incluindo as ilhas, criados por empreendedores portugueses e estrangeiros.

Para a concretização destes instrumentos de financiamento, contámos com a estreita colaboração dos nossos parceiros Agência Nacional de Inovação, Turismo de Portugal, Startup Portugal, INCM – Casa da Moeda, IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento e PME Investimentos (estas duas últimas incorporadas por fusão no início de novembro no Banco Português de Fomento).

O Conselho de Administração da Portugal Ventures, Rui Ferreira e Pedro de Mello Breyner, salienta que "num período conturbado para a economia nacional, a Portugal Ventures reuniu esforços, e em conjunto com os seus parceiros, respondeu às necessidades do ecossistema através da concretização de medidas específicas que apoiassem projetos que, pelo seu potencial, não podiam ver goradas as expetativas de um futuro global.

Estamos a acolher 59 novas empresas no nosso portefólio, acompanhámos e reforçámos com capital 14 empresas que já estavam connosco, identificámos e investimos nos bons projetos de empresas que viram as suas rondas de financiamento adiadas. Estes resultados, num ano tão atípico como o que vivemos, evidenciam por parte da Portugal Ventures uma postura atenta, pró-ativa e muito próxima de um ecossistema que necessita de estimular projetos que contribuam para a competitividade nacional, que tenham capacidade para escalar e tornarem-se globais e, acima de tudo, que imprimam impacto diferenciador no mercado mundial."

➢ Novos Investimentos:

Até à data, foram já investidas pela Portugal Ventures 12 empresas, num montante total de 7,3 milhões de euros:

  • a Barkyn, numa Series A em co-investimento com a Indico Capital Partners, a All Iron Ventures e o Fundo 200M, é um serviço de subscrição para animais de estimação, que integra alimentação personalizada e veterinário à distância e que já opera em Espanha, Portugal e Itália;

  • a EatTasty, startup que se dedica à confeção e entrega de almoços e jantares caseiros na Grande Lisboa e Almada, através de uma plataforma online e sem cobrar taxa de entrega;

  • a Fülhaus, uma empresa de design de interiores que oferece a solução Haus-in-a-Box através de um modelo de subscrição mensal para o mercado de alojamento local;

  • a HiJiffy, uma solução inovadora que centraliza, automatiza e mede todas as atividades de atendimento ao cliente de hotéis, integrando tecnologia numa plataforma simples, confiável e robusta, usada diariamente em mais de 1400 unidades hoteleiras, em 30 países;

  • a Legal Vision, numa Series A em co-investimento com investidores franceses, é uma legaltech que apresenta uma solução all-in-one, através do software LEGALVISIONPRO.FR, especializado na digitalização e automatização de processos jurídicos. Esta solução permite aos profissionais jurídicos corporativos gerir, criar, rever, validar e assinar documentos jurídicos;

  • a LiMM Therapeutics, empresa bio-farmacêutica que desenvolve produtos terapêuticos para o tratamento de doenças inflamatórias, metabólicas e oncológicas, foi uma operação em co-investimento com a Seventure Funds e o Fundo 200M;

  • • a Mindprober, primeira plataforma mundial de media testing biométrico que oferece dados acerca do impacto emocional de televisão e outros conteúdos vídeo através da captura das reações fisiológicas, foi uma operação em co-investimento com a Wisenext, Ideias Glaciares, Ganexa, Startup Braga, Medioris e Blue Mind Investment;

  • a Probely, que deteta vulnerabilidades e outros problemas de segurança em aplicações web e APIs, foi uma operação em co-investimento com a EDP Ventures;

  • a Reatia desenvolve, com recurso a AI, uma plataforma agregadora de imóveis particulares e de agências imobiliárias, inovadora para o acompanhamento do mercado imobiliário; esta operação foi realizada em co-investimento com a Olisipo Way e a Wisenext;

  • a Redcatpig, 5º investimento da Portugal Ventures nos Açores, é uma startup açoreana que atua no mercado de gaming e desenvolve o Keo, um dos projetos vencedores dos Prémios Playstation; esta operação foi realizada em co-investimento com a Best Horizon e com o suporte da IFD- Instituição Financeira de Desenvolvimento (incorporada por fusão no Banco Português de Fomento);

  • a Wide Ocean Retreat, primeiro investimento da edição Call Fostering Innovation in Tourism 2020, é especializada na organização de retiros em todo o mundo para a prática de ações de wellness;

  • a Algarve Sun Boat, primeira empresa de turismo marítimo do Algarve a operar com uma

  • frota 100% ecológica, sem emissões de carbono e em embarcações eletro-solares, opera no eixo Portimão-Silves, estando a preparar a sua atuação para a costa a Barlavento, entre Benagil e Alvor.

Em processo de investimento estão:

  • 1 projeto na área de Turismo e 1 projeto na área de Engenharia e Indústria, correspondendo a um montante total de investimento de 1,6 milhões de euros;

  • 44 projetos resultantes da Call INNOV-ID, com term sheets já assinadas, e que correspondem a um montante total de investimento de cerca de 4,5 milhões de euros;

  • 1 projeto resultante da Call Fostering Innovation in Tourism 2020, correspondendo a um investimento total de 124 mil euros.

Os 47 projetos que estão em processo de investimento serão detalhadamente divulgados após a formalização dos contratos de investimento.

A Portugal Ventures regista assim um aumento de mais de 200% no número de novos investimentos face a 2019.

Follow-Ons no Portefólio:

Porque a atividade de um operador de capital de risco é também a de acompanhar as empresas do seu portefólio, dotando-as de capacidade financeira para alavancar os seus negócios, a Portugal Ventures, até à data, realizou reforços de investimento no valor de 4,2 milhões de euros em 14 operações de Follow-on.

Destas operações, destacam-se a Series A da Lovys, numa ronda total de 15 milhões de euros, a Seed Series da Nutrium num total de 4,25 milhões de euros em co-investimento com a Índico, o FIS, a Primavera e a Startup Braga, e a Series B da DefinedCrowd, num total de 50,5 milhões de euros, em co-investimento com a Semapa Next, Hermes GPE, Bynd Venture Capital, EDP Ventures, Evolution equity Partners, Kibo Ventures, Ironfire Ventures, Amazon Alexa Fund, Sony Innovation Fund e Mastercard.

➢ Exits:

Os exits enquadram-se num dos três objetivos estratégicos que a atual equipa de gestão da Portugal Ventures definiu para o mandato de 2018-2020, no sentido de criar condições de desinvestimento nas empresas do portefólio, por forma a gerar rentabilidade atrativa para os fundos atualmente sob gestão e criar condições para uma liquidação dos fundos em final de vida adequadas para os seus diversos participantes, em função das suas especificidades e natureza.

Neste contexto, a Portugal Ventures realizou, com êxito, no primeiro semestre de 2020, 6 Exits, destacando-se a venda da B-Parts para o Groupe PSA, detentor de marcas como a Peugeot, Citroën e Opel, e da Fyde para a norte-americana Barracuda, empresa de soluções de cibersegurança na cloud .

➢ Iniciativas Lançadas:

No primeiro semestre de 2020, com o lançamento dos 3 instrumentos de financiamento, a Portugal Ventures registou 199 oportunidades de investimento, um aumento de 176% no número de oportunidades quando comparado com as 72 oportunidades recebidas no mesmo período de 2019.

Desde o início de 2020, a Portugal Ventures lançou 5 iniciativas:

  • A Call INNOV-ID, lançada em maio, com o objetivo de investir em projetos ou empresas de âmbito científico e tecnológico, com comprovado impacto, direto ou indireto, da tecnologia ou da atividade da empresa na descarbonização da economia, ou na sustentabilidade dos processos, produtos e materiais, ou na maior eficiência e sustentabilidade energética ou numa maior circularidade da economia;

  • A Call Fosterting Innovation in Tourism, lançada também em maio, com o objetivo de investir em projetos de turismo na fase pre-seed, tecnológicos e não tecnológicos, finalistas dos Programas de Aceleração do Fostering Innovation in Tourism, que desenvolvam ideias e modelos de negócio que melhorem a oferta turística nacional e a experiência do turista;

  • Operação Follow-ons, iniciativa que teve início em abril, juntamente com os parceiros de capital da Portugal Ventures, onde foram identificadas startups que, pelo seu potencial de crescimento e capacidade em ultrapassar as adversidades da pandemia, necessitavam de follow-ons para dar continuidade aos seus negócios. Esta iniciativa não teve candidaturas abertas à comunidade de empreendedores;

  • Open Day, que contou com 2 edições no 1º semestre de 2020, foi lançada com o objetivo de aproximar a Portugal Ventures dos empreendedores, de forma a conhecer os seus projetos e a contribuir positivamente com sugestões e recomendações que façam diferença no futuro crescimento dos projetos. Esta iniciativa irá ser relançada no início de 2021. Na 1ª sexta-feira de cada mês, a equipa da Portugal Ventures irá ouvir os pitchs de empreendedores que tenham projetos com ambição global, com capacidade de internacionalização e com equipas resilientes, bastando preencher o formulário online que irá estar disponível no website da Portugal Ventures caso queira apresentar o seu projeto.

  • 3ª Edição da Call Tourism, lançada em setembro passado, para impulsionar a retoma do setor turístico nacional, tem como objetivo receber candidaturas de projetos tecnológicos e não tecnológicos na área do Turismo. Com esta Call, a Portugal Ventures pretende identificar oportunidades de investimento em projetos que contribuam para a competitividade da oferta turística do país, que melhorem a experiência do turista em Portugal e que promovam a eficiência das empresas do setor. A Portugal Ventures irá investir até a um montante máximo de 1 milhão de euros por projeto e as candidaturas estão abertas até 8 de janeiro de 2021.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório