Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
17 de Novembro 2021

Hannover Messe: Testemunhos de empresas

AICEP

Alemanha
Multisetor

A feira industrial de Hannover, Alemanha, é um “marco inquestionável de montra para o mundo” e um “local privilegiado, pela sua dimensão e prestígio mundial,” para as empresas portuguesas, bem como um importante investimento na sua internacionalização. Ouvimos os responsáveis de três empresas que irão estar presentes na edição da Hannover Messe de 2022, da qual Portugal é país-parceiro, aumentando a visibilidade do país e das suas empresas naquele que é considerado o maior certame mundial para a

A indústria. Feira de Hannover é, desde a fundação da FERESPE – que este ano celebra 40 anos –, um local privilegiado, pela sua dimensão e prestígio mundial, para apresentar os serviços desta empresa portuguesa. Clientes e parceiros de negócio, atuais e futuros, vêm, em cada ano, ao encontro da empresa, que produz sob encomenda componentes de fundição em areia e por cera perdida destinadas a vários setores industriais: energia (petróleo e gás, renováveis e limpas, GNL e criogenia), refinaria e petroquímica, química, ferroviária, construção e reparação naval, papel e pasta de papel, e água e águas residuais e mineração.

A empresa fornece peças fundidas acabadas para incorporar em linhas de montagem ou para garantir necessidades de manutenção, em pequenas e médias séries, ou até mesmo em peças únicas. Os materiais utilizados – super-duplex e duplex, aço inoxidável, aço de baixa e média liga e ferros resistentes ao desgaste –, aliados às certificações que detém, bem como a uma equipa altamente treinada e qualificada, com forte relação com Centros de I&D, permitem-lhe exportar cerca de 90 por cento da produção.

No mercado de subcontratação, onde grandes projetos de médio e longo prazo se desenham e alinham, a FERESPE considera que a Feira Hannover Messe é, por excelência, “um lugar de troca de conhecimentos, de histórias, de encontro entre pessoas de diferentes geografias, culturas e indústrias e, de forma muito especial, um espaço de esperança na construção do futuro”.

Em 2022, a FERESPE estará de novo presente em Hannover, num ano “tão especial” em que celebra 40 anos de atividade, e em que Portugal será o país convidado, constituindo “uma oportunidade excecional de garantia de visibilidade sobre o nosso país e do melhor que a sua indústria tem para oferecer ao mundo, acreditando que esta é a forma de eleição para promover a criação de riqueza de um país”.

Uma montra para o mundo

Também experiente na Hannover Messe, a FAL – Fundição do Alto do Lixa, S.A., empresa do setor da metalomecânica e metalurgia, considera que a Hannover Messe é a principal feira para se estabelecer relação com parceiros, fornecedores, visando, através da sua participação, promover a captação de clientes que procuram soluções nesta área de negócio.

Este é tradicionalmente o maior organizador mundial de eventos e de feiras de negócios e, no caso específico da indústria, o maior organizador mundial de feiras industriais e de investigação e inovação, onde se inclui a componente da feira dedicada ao setor da subcontratação de produtos metálicos e metalúrgicos (fundição, produtos laminados “siderurgias”, forjados, injetados, estampados, etc.)”, afirma Élio Maia, administrador da empresa.

A FAL tem tido uma presença regular na Hannover Messe desde o final dos anos 90. Regra geral, a empresa dedica-se nesta feira à Subcontratação Industrial, que ao longo dos anos tem vindo a mudar e a organizar-se por setores temáticos, como a fundição, a forja, a metalomecânica, a maquinação, o sector de conformação plástica ou estampagem, ou ferramentas e fabricantes de ferramentas e/ou equipamentos o setor da metalomecânica, sendo, como aponta Élio Maia, “não raro estarem juntos nesta feira fileiras industriais complementares, como soluções para moldes, empresas para materiais aditivos, polímeros, areias e agora também já no metal, sendo normal ver representações onde as fundições estão juntas com empresas de maquinagem, ou outros setores da metalomecânica poderem ser complementares na oferta ao cliente, e fazer consórcios de negócios em rede”.

O responsável salienta a importância dada pela feira à inovação e investigação, com a participação das principais universidades da Alemanha, e todas as regiões alemãs, mas também de polos universitários e institutos de muitos países, com ou universidades e/ou institutos que se dedicam aos setores da educação/inovação/investigação, mecatrónica, eletrónica e eletromecânica, os sistema de HW e SW para a indústria, a indústria 4.0, e tudo o que gere componentes estão direta ou indiretamente ligados ao setor do metal. A título de exemplo aponta a participação regular de Portugal com entidades do Estado e de associações, como a COTEC e a AIMMAP com a Produtech.

Para a FAL, a Alemanha é um mercado de grande dimensão e qualitativamente exigente, que procura fornecedores fiáveis, com capacidade de evolução e transparência de comunicação, pelo que só os melhores podem vencer neste competitivo mercado.

Para uma empresa internacional como a FAL, a Hannover Messe é um marco inquestionável de montra para o mundo”, conclui Élio Maia.

Ouvimos também a TSF. Há mais de 20 anos que a TSF-Metalúrgica de Precisão, Lda. opera com empresas estrangeiras, nomeadamente de França, Alemanha e Suíça. Com a atividade centrada na construção soldada técnica, maquinação de cinco eixos de pequena e grande dimensão, mas dedicada a pequenas e médias séries de peças de precisão, e assemblagem de equipamentos, a TSF conta com uma equipa com elevado know-how e responsabilidade para trabalhar com grandes multinacionais.

Nos mercados onde está presente encontra clientes com potencial de crescimento e altamente tecnológicos, como sejam as áreas das centrais nucleares, perfumaria e cosmética, farmacêutica, embalagem, aeronáutica e equipamentos especiais, numa rota de crescimento que se deve, segundo a empresa, ao nível de exigência dos seus clientes e à vontade de diferenciação face à concorrência.

A Alemanha, país anfitrião da Hannover Messe, representa atualmente 15 por cento das exportações da TSF, sendo um mercado onde a empresa vai continuar a investir mais tempo no desenvolvimento do negócio neste país.

No seu processo de internacionalização, a empresa beneficia da experiência acumulada, mas também, como sublinha, do acompanhamento por parte da AIMMAP, muito focada em ajudar as empresas exportadoras.

Estamos convencidos que vai ser uma grande aposta a próxima edição da Hannover Messe, tendo Portugal como país convidado, o que também aumenta a nossa responsabilidade de investir um pouco mais na postura das empresas nacionais. Tenho a certeza de que o retorno será altamente positivo”, afirma Pedro Sousa, administrador.

Será bom para a nossa economia e para o nosso tecido empresarial. Da nossa parte, a certeza é que continuaremos a investir na internacionalização e a levar o nome de Portugal com qualidade e confiança sempre que estivermos no exterior”, finaliza o responsável.

A participação portuguesa na Hannover Messe 2022 é coordenada pela AICEP – Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal, e coorganizada com a AIMMAP - Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal e a CCILA - Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã, contando ainda com a colaboração da COTEC no domínio da produção de conteúdos expositivos inovadores.

Sob o mote “Portugal Makes Sense”, a presença portuguesa será focada nas áreas de Engineered Parts & Solutions, Energy Solutions e Digital Ecosystems, representativas da oferta nacional de clusters de excelência, designadamente nos setores dos equipamentos e da metalomecânica, da mobilidade, dos setores automóvel e aeronáutico, dos têxteis e plásticos técnicos, dos moldes, das tecnologias de produção e das energias renováveis.

Notícias AICEP

E-commerce no setor agroalimentar: porquê e como

AICEP

Informação que lhe explica o porquê do crescimento do e-commerce agroalimentar e como começar.

  • Multisetor

Crescimento do PIB português em 2021

AICEP

Entre janeiro e setembro de 2021, o PIB português registou um crescimento de 4,3 por cento.

  • Portugal

Vender fruta online para a Alemanha? É possível com estes…

AICEP

Conheça os melhores mercados digitais para exportar fruta online para a Alemanha.

  • Multimercado
  • Agroalimentar

Partilhe esta página

Campo Obrigatório