Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
21 de Abril 2021

Hannover Messe termina com “interesse acrescido das empresas”

AICEP

Alemanha

A Hannover Messe, principal feira do mundo para a tecnologia industrial, terminou numa edição exclusivamente virtual "radicalmente diferente", que mostrou o "interesse acrescido das empresas", sublinhou o presidente da AICEP, Luís Castro Henriques, à Lusa.

Portugal participou com 18 empresas nacionais, um 'stand' da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), e uma equipa "pronta para responder a todas as questões" numa edição especialmente desafiante.

Luís Castro Henriques faz um balanço positivo da participação nacional dentro do formato digital, sublinhando, ainda assim, estar-se a "falar de um universo muito mais reduzido e num ambiente que não é o habitual".

A Hannover Messe recebe, anualmente, cerca de 200 mil visitantes de quase uma centena de países ao longo de cinco dias, apresentando expositores de bens, equipamentos e serviços das diferentes áreas da indústria transformadora.

Na próxima edição de 2022, que se prevê maioritariamente presencial, Portugal será país parceiro com o mote "Portugal makes sense" (Portugal faz sentido).

Na passada terça-feira, a AICEP e a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã organizam uma conferência digital de apresentação.

"Há um interesse claro dos alemães em conhecer melhor Portugal. Não há melhor plataforma que a Hannover Messe, que é o encontro anual da indústria alemã, para o fazer", realçou o presidente da AICEP, acrescentando que o principal 'feedback' que tem é que "está tudo à espera da presença portuguesa em 2022".

"A pensar no próximo ano nota-se que há um interesse maior de empresas com um pendor mais tecnológico (…). Sentimos neste momento que há uma procura relevante, fruto do trabalho que tem sido feito nos últimos meses, para se ter um perfil o mais competitivo, tecnológico e o mais inovador possível em 2022", salientou.

A participação este ano foi feita através de uma plataforma 'online', disponibilizada em inglês ou alemão, que permitiu aos expositores mostrarem os seus produtos num catálogo digital. Simultaneamente decorreram várias palestras acessíveis aos expositores e visitantes.

"Aprendemos o que podemos explorar no digital no próximo ano, como é obvio o digital será uma dimensão permanente mesmo em eventos físicos (…). O segundo aspeto foi o interesse acrescido de empresas portuguesas e, sobretudo, de empresas de perfil diferente. Toda essa aprendizagem é para nós muito positiva", garantiu Luís Castro Henriques.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório