Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
14 de Julho 2020

Vendas online B2C em França ultrapassam os 100 mil M€ em 2019

AICEP

França

Segundo o mais recente relatório anual da FEVAD (“Fédération du E-commerce et de la Vente à Distance”), publicado a 7 de julho de 2020, as compras online em França B2C aumentaram, em 2019, 11,6 por cento em relação ao ano anterior, gerando 103,4 mil milhões de euros.

Cerca de 40 milhões de franceses fizeram compras na Internet no ano passado (16,3 milhões dos quais através do telemóvel), o que corresponde a 8 em cada 10 internautas. Registaram-se 1,7 mil milhões de transações (mais 15,7 por cento do que em 2018), nos 200 650 websites ativos no país, sendo a Amazon (53,7 por cento), a Fnac (27,0 por cento), o Cdiscount (18,2 por cento), o Veepee (13,6 por cento) e o E.LECLERC (11,1 por cento) os líderes de vendas.

Com um aumento anual médio de 13 por cento nos últimos quatro anos, este circuito de distribuição representa já 9,8 por cento do comércio retalhista em França. Artigos de moda e vestuário, produtos culturais, jogos e brinquedos, e viagens são os produtos mais procurados pelos consumidores, tendo o e-commerce pouco impacto sobre o comércio local e de proximidade.

São sobretudo os centros comerciais e as grandes superfícies que veem os seus clientes desviados para as plataformas online. Em média, cada internauta francês realiza 3,5 transações por mês, gasta 59€ por transação (menos 3,6€ do que em 2018), num total de 2 577€ ao ano. Preferem receber as suas encomendas em casa (85 por cento) ou em pontos de recolha (68 por cento), e privilegiam o cartão bancário como meio de pagamento (80,1 por cento), embora se registe um aumento do uso de carteiras digitais (11,5 por cento), como o PayPal. Os franceses fazem, em média, mais compras em websites estrangeiros do que os restantes consumidores europeus e 98 por cento declaram-se satisfeitos com a experiência e-commerce. Existe, ainda, uma preocupação crescente com o ambiente: 70 por cento dos compradores privilegia os websites que tenham preocupações ecológicas.

As vendas online geraram, em 2019, 200 mil empregos diretos em França, aos quais se juntam os empregos criados nos setores dos transportes e logística. Os websites líderes de vendas aumentaram o seu efetivo em 54 por cento em 2019, e 17 por cento das micro, pequenas e médias empresas que vendem por esta via contrataram pelo menos uma pessoa. A utilização do e-commerce por estas empresas permitiu-lhes aumentar em 14 por cento o seu volume de negócios, em conjunto com as vendas nas suas lojas físicas.

O e-commerce B2B registou um crescimento médio anual de 15 por cento nos últimos três anos, ultrapassando os 150 mil milhões de euros em 2019. Os setores que mais utilizam o comércio online em França são a indústria, construção e comércio e as empresas com mais de 250 colaboradores são quem mais explora este circuito de distribuição.

O relatório pode ser consultado na íntegra aqui e mais informações sobre esta temática podem ser obtidas junto da Delegação da AICEP em Paris.

Campo Obrigatório