Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
15 de Fevereiro 2022

Exportações nacionais recuperam e as previsões são positivas

AICEP

O progresso no processo de vacinação, o alívio de algumas medidas de restrição e a contenção do contágio da crise ao setor financeiro que permitiu estabilidade financeira e manutenção das condições de financiamento à generalidade dos agentes económicos permitiram enfrentar e recessão económica causada pela COVID-19 e alavancar uma recuperação a partir do terceiro trimestre de 2020, que se estendeu ao longo de 2021. Projeções do Banco de Portugal apontam para um crescimento da economia portuguesa de 4,8 por cento em 2021 e de 5,8 por cento em 2022.

Mais de uma década depois da crise financeira de 2008-2009, o mundo deparou-se em 2020 com uma nova recessão causada pela pandemia COVID-19, que num contexto de aplicação de medidas de contenção de proteção da saúde pública, de precaução dos agentes económicos e disrupção das cadeias de abastecimento globais, provocou uma contração económica mundial de 3,4 por cento, a mais severa desde a Grande Depressão, com o comércio mundial a contrair 8,2 por cento.[1]

Em Portugal, com os primeiros casos de COVID-19 identificados no início de 2020, a exemplo do que aconteceu a nível mundial, para além da gravidade da doença do ponto de vista de saúde pública, em termos económicos a pandemia provocou naquele ano o choque mais negativo a que o nosso país assistiu em décadas (quebra real do PIB de 8,4 por cento em 2020), tendo afetado, em particular, as trocas comerciais externas, causando uma contração das exportações de 18,6 por cento, em volume, com quebras reais de 11,4 por cento na componente de bens e de 34 por cento na de serviços, esta última fortemente afetada pelo peso do setor do turismo.

Também no que respeita aos fluxos de investimento direto (ID), 2020 ficou marcado pela redução de 34,7 por cento do ID líquido mundial relativamente a 2019, e por quebras de 33,7 por cento e de 41,3 por cento do ID líquido de Portugal no exterior (IDPE) e do exterior no nosso país (IDEP), respetivamente.

Se o impacto da pandemia sobre os fluxos comerciais e de ID em 2020 foi de grande dimensão e superior ao observado em 2008-2009, uma característica marcante foi a rápida recuperação observada ao longo de 2021, o que aponta para a adaptação e resiliência das empresas às condições adversas vividas.

Leia o artigo na íntegra na Revista Portugalglobal.

Artigo escrito por João Manuel Santos da Direção de Produto da AICEP.

 


[1] Banco Mundial - Global Economic Prospects (janeiro 2022)

Notícias AICEP

Exportações de mobiliário superam níveis pré-pandemia

AICEP

Exportações de mobiliário sobem 6 por cento no 1º trimestre de 2022 para 500 milhões de euros.

  • Multisetor

BRESIMAR MARCA PRESENÇA NA HANNOVER MESSE 2022

AICEP

Grupo BRESIMAR leva soluções nacionais com inovação de ponta à HANNOVER MESSE 2022.

  • Multisetor

Blue Talk Havana aproximou especialistas e empresas

AICEP

O evento realizou-se com sucesso e aproximou especialistas e empresas de ambos os países.

  • Multimercado

Partilhe esta página

Campo Obrigatório