Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
12 de Março 2024
Estratégia ESG: qual a importância para as empresas exportadoras?

Artigo AICEP

Uma estratégia ESG reflete a crescente importância que as questões ambientais, sociais e de governance têm no mundo atual e, consequentemente, para as empresas. A implementação de boas práticas nestas áreas tem impacto no ambiente e na sociedade, mas é também uma forma de gerar valor para todos os intervenientes.

Para as empresas exportadoras, a implementação de estratégias de ESG é ainda mais importante. Além das questões reputacionais, a própria legislação comunitária impõe o cumprimento de critérios nesta matéria. Ou seja, o acesso aos mercados internacionais está cada vez mais condicionado à adoção destes requisitos. Ignorar esta realidade põe em causa a competitividade das empresas e prejudica o seu crescimento.

A estratégia de ESG decorre no âmbito do Regulamento Sustainable Finance Disclosure Regulation (SFDR) e das Diretivas Corporate Sustainability Due Diligence (CSDD) e Corporate Sustainability Reporting Directive (CSRD) da União Europeia.

O que significa para as empresas ter uma estratégia ESG?

ESG é a sigla para Environmental, Social and Corporate Governance. Esta estratégia materializa-se na adoção de políticas baseadas nestes três pilares e, muito em breve, no reporte, de acordo com requisitos legais, da implementação dessas práticas.

A reputação e sucesso de uma empresa não se medem apenas pelo volume de negócios, mas cada vez mais pelas suas preocupações ambientais, sociais e corporativas e pela forma como procura gerar valor para todos os stakeholders

Implementar uma estratégia ESG é, cada vez menos, uma questão de opção. Não só os regulamentos internacionais obrigam ao cumprimento de determinadas normas, como as próprias empresas percebem que obtêm vantagens se agirem de acordo com esses critérios.

Os 3 pilares de uma estratégia ESG nas empresas

Ambiente, sociedade e governança são os 3 pilares de uma estratégia ESG. Conhecendo-os, é mais fácil perceber o que pode ser feito para dar início a uma mudança com impacto na sua empresa e na sociedade.

1. Ambiente

Diz respeito às práticas e às políticas da empresa em questões ambientais, nomeadamente as que têm como objetivo a redução do seu impacto ambiental nas comunidades onde se insere. A estratégia da empresa em termos ambientais deve ter presente questões como as alterações climáticas, poluição ou utilização sustentável de recursos naturais.  

As medidas tomadas para a redução das emissões de carbono, gestão e tratamento de resíduos, poupança de água e conservação do meio ambiente local são alguns exemplos de comportamentos alinhados com a estratégia ESG.

No caso das empresas exportadoras, estas preocupações devem estender-se aos mercados de destino, procurando que o impacto ambiental nessas comunidades seja o menor possível.

2. Social

A estratégia ESG para as empresas deve igualmente incluir políticas de cariz social que vão além de medidas avulsas de Responsabilidade Social Empresarial.

A componente social abrange a forma como a empresa se relaciona com os seus colaboradores, fornecedores, clientes, mas também com a comunidade ou comunidades em que se insere. Quando as empresas estão envolvidas no comércio internacional, a estratégia social deve ter em conta os mercados de destino, alargando as preocupações com a segurança e saúde aos seus parceiros e clientes locais.

Igualdade de oportunidades, inclusão, diversidade, impacto social, saúde e segurança dos trabalhadores são aspetos essenciais a ter em conta quando se define uma estratégia ESG.

3. Governança

Diz respeito às políticas de liderança que a empresa implementa e que são cada vez mais dissecadas quer pelos stakeholders, quer pelos próprios consumidores.

Empresas que regem a sua conduta pela transparência nas informações financeiras, combate à corrupção e gestão de riscos cumprem requisitos legais e criam uma imagem positiva.

A composição do conselho de administração, a sua independência e a remuneração dos órgãos diretivos também são valorizadas pelos outros players envolvidos no comércio internacional.

Estratégia ESG: qual a importância para as empresas?

A implementação de uma estratégia de ESG nas empresas é essencial para criar e manter uma boa reputação perante clientes, fornecedores e comunidades, contribuindo para aumentar a sua competitividade internacional.

No caso das empresas exportadoras, a adoção de boas práticas em termos ambientais, sociais e corporativos é ainda mais relevante, dada a importância que estas questões têm a nível global. Em certos mercados, questões de sustentabilidade, responsabilidade social e transparência são fatores decisivos para parceiros e consumidores.

As empresas alinhadas com a estratégia ESG são mais resilientes, estão mais conscientes dos desafios que podem surgir e, por isso, preparadas para os enfrentar. Ficam menos expostas a boicotes dos consumidores, investidores e a coimas e sanções que abalem a sua reputação e criem dificuldades financeiras. 

Enquadramento da ESG nos regulamentos comunitários

A implementação de estratégias ESG assume maior importância porque a própria União Europeia reforçou a regulamentação relativa ao seu reporte. O que significa que as empresas terão não só de adotar medidas alinhadas com esta estratégia, como de as comunicar, integrando o relatório de sustentabilidade no relatório anual de gestão. Uma informação que será útil para que investidores, fornecedores e clientes tomem decisões com base em critérios como a sustentabilidade, responsabilidade social e governança.

A nova Diretiva sobre o Reporte de Sustentabilidade Corporativo (CSRD) entra em vigor em 2024, sendo aplicada de forma faseada de acordo com a dimensão das empresas:

  • 1 de janeiro de 2024: grandes empresas de interesse público (mais de 500 trabalhadores) já sujeitas à diretiva de reporte não financeiro;
  • 1 de janeiro de 2025: grandes empresas ainda não sujeitas à diretiva de reporte não financeiro (mais de 250 trabalhadores e/ou 40 milhões de euros em volume de negócios e/ou 20 milhões de euros no total do ativo);
  • 1 de janeiro de 2026: PME cotadas e outras empresas.

Entre as exigências de reporte no âmbito da CSRD estão questões como a divulgação das políticas de sustentabilidade ou de medidas para minimizar, prevenir ou resolver impactos ambientais e sociais. 

A nova diretiva traz também a obrigação da verificação da informação por terceiros, evitando assim a prestação de informações falsas ou de práticas de greenwashing.

Como saber mais sobre o enquadramento ESG?

Dada a importância que a estratégia ESG tem para as empresas, sobretudo as que estão inseridas num contexto de internacionalização, é fundamental saber como implementar estas boas práticas e conhecer as regras e alterações trazidas pela CSRD.

A adaptação das PME exportadoras a estes regulamentos é um processo que não deve ser adiado e para o qual pode contar com o apoio da AICEP, nomeadamente através de ações de sensibilização e divulgação.

 

Veja também:

Academia AICEP: formar para a internacionalização

Como funciona a MY AICEP?

Operador Económico Autorizado: o que é e quais as vantagens?

 

 

Notícias AICEP
Investimento Direto Português no Estrangeiro: o que é e…

AICEP

Se procura recursos, mercado e ativos estratégicos, o IDPE é uma opção para a sua empresa.

Kaola: um marketplace para descobrir

AICEP

Saiba como vender no marketplace Kaola e quais as vantagens desta plataforma.

Vender para a Bélgica: conheça as oportunidades

AICEP

As vendas para este país da UE têm aumentado, mas ainda há muitas oportunidades para explorar.

Partilhe esta página

Campo Obrigatório