Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
04 de Setembro 2020

Mudança de fábricas para o México pode reduzir custos

AICEP

México

É esta uma das conclusões de um estudo recente da PwC. A consultora destaca que os custos operacionais podem ser reduzidos até 24 por cento, e apresenta vários cenários para a gestão de cadeias de valor globais.

No seu relatório “Más allá de China: Hacia una mayor diversificación y eficiencia de costos en las cadenas de suministro”, a PwC analisa aspetos como os custos de destino, tempos de entrega e fatores de risco, revendo opções e modelos para a cadeia de valor.

Embora o estudo seja essencialmente focado na localização ou relocalização de empresas norte americanas, o seu interesse estende-se a todas as empresas que entram nas cadeias de valor globais. Os fabricantes tenderão a encontrar o equilíbrio certo entre o nível de resiliência e o custo de operação.

Entre as principais vantagens que o México oferece, a PwC destaca a entrada em vigor do T-MEC, que confere maior estabilidade às relações comerciais entre o México e os Estados Unidos. Além disso, o custo da mão-de-obra mexicana mantém-se competitivo em relação à China e outros países emergentes asiáticos, tem um baixo custo logístico e uma indústria transformadora consolidada.

O México também pode ser uma alternativa para um cenário de fornecimento duplo (por exemplo, China + México ou outros países de baixo custo na Ásia + México) podendo gerar uma economia de 5 a 20 por cento em comparação à continuidade do fornecimento somente da China.

Inicialmente com a guerra comercial EUA-China e agora com a pandemia, a empresas vêem-se obrigadas a autoavaliar a cadeia de fornecedores e analisar o que é necessário reajustar na sua presença global. As empresas portuguesas, quer produtoras de bens intermédios ou finais, devem estar atentas e antecipar, na medida do possível, estas movimentações globais.

O relatório está disponível no website da PwC aqui.

Campo Obrigatório