Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
17 de Agosto 2020

Economia sueca demonstra sinais de recuperação

AICEP

Suécia

A Suécia foi o único país europeu que não optou por uma estratégia de lockdown, seja ele total ou parcial. Por essa razão, em termos económicos, já se previa que o impacto a curto e médio prazo não fosse tão severo como nos países que optaram por uma estratégia de confinamento. Precisamente agora o país demonstra pequenos sinais que indicam que a economia já está a recuperar.

Primeiramente, o défice do Estado no passado mês de julho foi inferior ao esperado. O Governo antecipou inicialmente um défice a rondar os 58.7 mil milhões SEK (cerca de 5.71 mil milhões €) mas, contudo, o valor acabou por se cifrar nos 34.4 mil milhões SEK (3.44 mil milhões €). A principal razão para esta diferença foi a maior receita proveniente de impostos (mais de 25 mil milhões SEK), em parte, fruto de um maior pagamento de impostos por parte das empresas. Isto poderá assim significar que o nível de atividade de muitas empresas foi superior ao que era antecipado.

Em segundo lugar, os pagamentos por cartão aumentaram na primeira semana de agosto, demonstrando que o consumo recuperou largamente face aos níveis verificados durante o pico da pandemia, estando agora bastante próximo dos níveis do ano passado, apenas 5 pontos percentuais abaixo. De acordo com o Swedbank o que favorece esta evolução é o aumento das transações em restaurantes e hotéis, ao mesmo tempo que as compras de bens alimentares permanecem em níveis bastante mais elevados que em período homólogo.

Por último, durante o mês de julho mais de 6000 pessoas passaram a estar empregadas, em relação ao mês de junho, o que levou a uma revisão em baixa das estimativas para a taxa de desemprego no final do ano em 0,2 pontos percentuais. Atualmente, a taxa de desemprego cifra-se nos 9,2  por cento (face a 6,9 por cento em período homólogo). Importa também referir que está a verificar-se uma crescente procura de mão de obra em indústrias como a saúde, a educação e algumas áreas do comércio, como os empregos associados a armazéns e logística.

Campo Obrigatório