Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
08 de Abril 2020

Crescimento do PIB em Cabo Verde em 2019 foi de 5,7 por cento

AICEP

Cabo Verde

O Instituto Nacional de Estatística (INE) tornou público, que no 4º trimestre de 2019, o Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde apresentou, em termos homólogos, um aumento de 5,7 por cento (em volume) e de igual forma as exportações e importações aumentaram em 8,6 por cento e 3,5 por cento, respetivamente.

Segundo o INE, esta evolução resulta do maior contributo das despesas do consumo final e das exportações. Do lado da oferta o Valor Acrescentado Bruto (VAB) a preços de base apresentou uma evolução homóloga positiva de 6,3 por cento, destacando-se para o efeito as atividades dos transportes e construção.

Os dados do INE indicam que os impostos líquidos de subsídios apresentaram uma evolução homóloga de 1,8 por cento. O consumo final deteve uma variação homóloga positiva de 8 por cento, sendo que no trimestre anterior foi de 7,3 por cento.

No que se refere ao consumo privado, registou-se um aumento de 8 por cento, em termos reais, quando no 3º trimestre era de 7,3 por cento, e o consumo público apresentou uma taxa de variação homóloga de 8,3 por cento, em volume, sendo que no trimestre anterior, o valor apresentado era de 7,4 por cento.

O INE avançou que o investimento registou uma variação homóloga negativa, de 7,6 por cento, em volume, sendo -7,1 por cento no trimestre anterior.

Conforme os dados do INE, as exportações de bens e serviços (em volume), assinalaram, uma variação homóloga de 8,6 por cento (10,2 por cento) no trimestre anterior. Quanto às importações de bens e serviços, em termos homólogos, aumentaram 3,5 por cento, no período em análise. O VAB a preços de base verificou, uma evolução homóloga positiva, de 6,3 por cento, em termos reais, diminuindo em 1,4 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.

Em termos sectoriais, o VAB do ramo agricultura aumentou 2,8 por cento, contribuindo, em 0,1 pontos percentuais, na variação total do crescimento do PIB. No ramo da indústria transformadora registou-se uma diminuição de 4,6 por cento (9,9 por cento no 3º trimestre de 2019), contribuindo negativamente em 0,3 pontos percentuais, para a variação total do crescimento do PIB, e no ramo da construção verificou-se um aumento de 17 por cento, tendo uma contribuição de 1,8 pontos percentuais, na variação total do crescimento do PIB. 

Comparativamente ao mesmo trimestre de 2019, o VAB do ramo de Comércio apresentou, uma variação homóloga de 3,4 por cento, em volume (3,7 por cento no trimestre anterior), traduzindo-se num contributo para a variação homóloga do PIB em 0,1 pontos percentuais.

O VAB dos ramos do transporte, alojamento e restauração apresentaram, em termos reais, uma variação de 5,9 por cento e 10,5 por cento, respetivamente, (contribuindo 1,3 pontos percentuais e 0,8 pontos percentuais, respetivamente, para a variação total do crescimento do PIB). 

No ramo da administração pública, o VAB teve no 4º trimestre, uma variação homóloga de 9,6 por cento, (7,6 por centono 3º trimestre 2019), contribuindo em 1,1 pontos percentuais, para a variação total do crescimento do PIB.

Por sua vez, os impostos líquidos de subsídios sobre os produtos, em termos reais, apresentaram uma variação homóloga de 1,8 por cento, no 4º trimestre, contribuindo em 0,3 pontos percentuais, para a variação total do PIB.

Ainda segundo o INE, o crescimento acumulado dos 4º trimestres de 2019 deveu-se, essencialmente, as atividades da eletricidade e água, construção, transportes, alojamento e restauração, serviços financeiros e seguros e a administração pública. 

De acordo com o Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Olavo Correia, os resultados apresentados no período em análise são bastante positivos, por conseguinte está ciente de que o quadro mudou (sobretudo em consequência do COVID-19). O governante avançou ainda que, Cabo Verde no período pós pandemia, teremos um mundo com mais pobreza, com mais exclusão, com mais desemprego, com menos oportunidades para os jovens e mulheres e com mais limites e fronteiras, e que o governo está a trabalhar na elaboração de uma estratégia nacional de modo a gerir a situação do país no período pós COVID-19.

Campo Obrigatório