Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
20 de Março 2020

Coronavírus: medidas de apoio às empresas tomadas pelo Chanceler do Tesouro britânico

AICEP

Reino Unido

No discurso de apresentação do orçamento de estado que teve lugar na semana passada, o Chanceler do Tesouro britânico Rishi Sunak já tinha anunciado um pacote de medidas de 30 mil milhões de libras com o objetivo de estimular a economia face aos efeitos negativos provocados pelo Coronavírus.

Desta feita, num discurso conjunto com o Primeiro-Ministro britânico Boris Johnson ao país, Sunak anunciou que o governo avançará com mais 330 mil milhões de libras para apoiar a economia, montante que representa 15 por cento do PIB britânico.

Este anúncio vem na sequência da rápida alteração de circunstâncias que se tem verificado e também motivado por algumas críticas de círculos empresariais locais que consideravam as medidas tomadas como insuficientes.

Entre as medidas principais anunciadas nas duas intervenções, distinguem-se:

- Os empréstimos ou créditos em condições “atrativas” e garantidos pelo estado a “qualquer empresa que precise de dinheiro para pagar a renda, salários, fornecedores ou repor stocks”;

- O mecanismo de financiamento garantido pelo Banco de Inglaterra que se traduz na compra de papel comercial emitido por parte das grandes empresas;

- Os empréstimos até 5M£ sem juros nos primeiros 6 meses às PME afetadas, concedidos pelo banco estatal BBB;

A cobertura das despesas com baixa médica (até 14 dias) a empresas com menos de 250 trabalhadores;

A atribuição de um subsídio de £10.000 dirigido a 700.000 pequenas empresas;

- A atribuição de um subsídio de £25.000 às empresas que se enquadrem nos setores do entretenimento/lazer, turismo, hotelaria e restauração que não estejam cobertas por seguros contra pandemias, para além da redução ou suspensão excecional da carga fiscal até £25.000;

A linha de apoio dedicada a ajudar as empresas e os trabalhadores independentes em dificuldades financeiras e com dívidas fiscais pendentes, de forma a poderem acordar uma isenção ou uma extensão do prazo de pagamento;

- A isenção da obrigação de pagamento de imposto sobre a propriedade comercial durante 12 meses para todos os lojistas/retalhistas;

A linha de £500M distribuída pelas autoridades locais para apoiar as populações mais vulneráveis;

A isenção de pagamento de obrigações hipotecárias durante 3 meses para aqueles afetados pelo surto;

Criação de um fundo de emergência de £5B de apoio ao sistema nacional de saúde;

- Os 40 milhões de libras para incentivar a pesquisa científica do vírus e descoberta da respetiva vacina.

Estas medidas pretendem capacitar as empresas para que estas consigam cumprir com as suas obrigações, problemas de liquidez e cash-flow, apoiar os trabalhadores independentes e as populações mais vulneráveis.

Nos próximos dias, é também esperado um pacote de resgate destinado às companhias aéreas e aos operadores aeroportuários, uma vez que o setor da aviação se encontra à beira do colapso.

Governo, sindicatos e representantes dos setores mais afetados continuarão em conversações para encontrar soluções de apoio ao emprego, de forma a responder às disrupções provocadas pelo vírus.

Campo Obrigatório