Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
11 de Novembro 2021

Componentes automóveis mantêm queda nas exportações

AICEP

Componentes auto

De acordo com a AFIA - Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, as exportações de componentes automóveis registaram nova diminuição no mês de setembro, fixando-se nos 753 milhões de euros. Uma queda de 12,6 por cento quando comparada com o mesmo período de 2019.

Mais uma vez, e analisando as vendas ao exterior nos primeiros nove meses do ano, percebe-se que somente durante os meses de fevereiro e março é que as exportações estiveram acima do nível verificado em 2019.

Desta forma, e no acumulado até setembro de 2021, as exportações de componentes automóveis atingiram os 6.809 milhões de euros, o que se reflete numa diminuição de 5,8 por cento face ao mesmo período de 2019.

Já no que diz respeito aos países destino das exportações de janeiro a setembro de 2021, e relativamente à mesma data de 2019, Espanha mantém-se no topo com vendas com 1.958 milhões de euros (+3,3 por cento), seguida da Alemanha com 1.394 milhões de euros (-9,4 por cento), em terceiro lugar surge a França com um registo de 809 milhões de euros (-21,3 por cento), em quarto lugar os Estados Unidos da América com 340 milhões (25,7 por cento) e, por último, o Reino Unido que cai do quarto lugar para quinto, totalizando 327 milhões de euros (-48,2 por cento). No total, estes 5 países totalizam 71 por cento das exportações portuguesas de componentes automóveis.


A falta de chips e componentes eletrónicos mantém-se, um pouco por todo o mundo, como um dos principais problemas nas cadeias de abastecimento, uma vez que levam a que as construtoras automóveis interrompam temporariamente a sua laboração. Outras situações como a escassez das matérias-primas, a pandemia de Covid-19 e o Brexit (as exportações para o Reino Unido caíram 48,2 por cento, passando este do quarto país cliente para quinto) são outras das causas apontadas para estes comportamentos menos favoráveis.

No entanto vale a pena ressalvar alguns pontos positivos, como o comportamento das exportações para Espanha, que se mantém como principal cliente dos componentes automóveis fabricados em Portugal, com uma quota de 28,8 por cento e que na realidade estão acima do nível registado na pré-pandemia, com um aumento de 3,3 por cento face a janeiro-setembro de 2019.

É ainda de notar que com as exportações a alcançarem os 340 milhões de euros, os Estados Unidos da América, são nesta altura o 4º mercado destino das exportações de componentes portugueses, com 5 por cento das exportações.

A atual situação da indústria numa perspetiva nacional e internacional, assim como a análise das tendências da mobilidade do futuro, serão debatidas no próximo dia 17 de novembro, em Ílhavo, onde a AFIA irá juntar os empresários do setor no 10º Encontro da Indústria Automóvel.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 9 de novembro pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

Notícias AICEP

E-commerce no setor agroalimentar: porquê e como

AICEP

Informação que lhe explica o porquê do crescimento do e-commerce agroalimentar e como começar.

  • Multisetor

Crescimento do PIB português em 2021

AICEP

Entre janeiro e setembro de 2021, o PIB português registou um crescimento de 4,3 por cento.

  • Portugal

Vender fruta online para a Alemanha? É possível com estes…

AICEP

Conheça os melhores mercados digitais para exportar fruta online para a Alemanha.

  • Multimercado
  • Agroalimentar

Partilhe esta página

Campo Obrigatório