Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
06 de Novembro 2020

AICEP lança estudo de mercado sobre Rochas Ornamentais em França

AICEP

França
Rochas ornamentais

O estudo "Mercado de Rochas Ornamentais em França" está disponível na MY AICEP e inclui análise do consumo, análise da concorrência local e internacional no mercado, canais de distribuição e regime regulamentar para importação de Rochas Ornamentais, entre outros temas de interesse para empresas do setor.

França é o 6º importador mundial de rochas ornamentais e o 2º da União Europeia, logo a seguir à Alemanha. Segundo o International Trade Centre, em 2018, França comprou ao exterior 421,9 milhões de euros destes produtos (452,5 milhões de euros em 2019), o que corresponde a 3,9 por cento das importações mundiais.

O mercado francês é o maior importador de ardósia com 137,1 milhões de euros em 2018, isto é, 27,5 por cento do total mundial, o 6º de pedras para calcetar, lancis e placas para pavimentação, com 72,1 milhões ou 5,3 por cento de quota, e o 8º de pedras para cantaria ou construção, com 212,6 milhões de euros correspondentes a uma quota de 2,4 por cento no mercado mundial. Em 2019, as importações francesas aumentaram 16,6 por cento nas pedras para calcetar, lancis e placas para pavimentação, 4,6 por cento nas pedras para cantaria e construção e baixaram 1,5 por cento na ardósia, atingindo, respetivamente, 84,1 milhões, 222,4 milhões e 146 milhões de euros.

De acordo com a mesma fonte, Portugal é o 6º fornecedor deste setor a França, com uma quota de 8,2 por cento em 2019, correspondente a 37,2 milhões de euros. Portugal é o primeiro fornecedor de França de pedras para calcetar, lancis e placas para pavimentação, com uma quota de 29,7 por cento correspondente a 25 milhões de euros; nas pedras para cantaria e construção, é o 6º fornecedor, com 10,7 milhões de euros a que corresponde uma quota de 4,8 por cento; já na ardósia sobe para 4º, mas o valor não ultrapassa 1,5 milhões de euros e 1 por cento de quota. Em 2019 as importações francesas a Portugal aumentaram 74,6 por cento nas pedras para calcetar, lancis e placas para pavimentação, 19,3 por cento nas pedras para cantaria e construção e 140,7 por cento na ardósia. França é o 1º cliente de qualquer uma destas rochas ornamentais portuguesas.

Ao longo dos anos o setor da construção tem sido um indicador da saúde da economia francesa. De tal modo que uma citação de um deputado, em 1850, que se tornou um lema no país: Quand le bâtiment va, tout va (Quando a construção avança, tudo avança).

Na próxima década, o maior empreendimento de construção em França (e, provavelmente, na Europa) articula-se em torno do “Grand Paris Express”, projeto com investimentos esperados da ordem dos 37 mil milhões de euros, que abrange habitações, escritórios e infraestruturas, criando inúmeras oportunidades para o setor. Outros grandes eventos são os Jogos Olímpicos de 2024 em Paris e o Campeonato do Mundo de Rugby, na mesma cidade, em 2023.

Os eixos de abordagem comercial ao mercado francês neste setor são diversos mas relativamente clássicos. Trata-se de um mercado maduro, concorrencial e competitivo, inserido numa das zonas económicas mais dinâmicas do mundo, com uma taxa de sofisticação elevada. A prospeção comercial através de contacto telefónico ou por e-mail será uma das principais ferramentas de abordagem, devendo-se ter presente que toda a comunicação deve ser, preferencialmente, realizada em língua francesa. Também a presença em feiras profissionais internacionais é uma ferramenta importante para angariar novos clientes no mercado, mas também para avaliar a concorrência internacional e as principais tendências do setor.

O contacto presencial, ou seja a marcação prévia de encontros com compradores, é um exercício muito difícil. Mesmo continuando a ser um meio notável para conseguir novos clientes, os compradores raramente aceitam marcar encontros com potenciais fornecedores numa fase de prospeção. O encontro presencial acontece, por norma, depois da primeira abordagem e da manifestação de interesse do comprador.

Também é aconselhável a comunicação junto dos media especializados, quer através de publicidade, quer de comunicados de imprensa. Esta última opção é muito utilizada e dá bons resultados nomeadamente quando o fornecedor comunica, nos diversos suportes mediáticos, a realização ou a inserção dos seus materiais em obras de destaque.

Conheça o mercado de Rochas Ornamentais em França em detalhe e inicie ou reforce as exportações para o país. Pode aceder ao estudo no MY AICEP, nova área reservada da AICEP para empresas em internacionalização, registando-se aqui.

Campo Obrigatório