Passar para o conteúdo principal
Campo Obrigatório
11 de Março 2021

AED lança programas de mitigação do impacto económico

AICEP

Portugal
Multisetor

No contexto da pandemia decorrente da COVID-19, em particular dos impactos económicos sentidos nos setores da Aeronáutica, Espaço e Defesa, o AED Cluster Portugal elaborou um documento de proposta e delineação de um conjunto de Programas, a serem lançados no Plano de Recuperação e Resiliência, maioritariamente transversais aos três setores.

O documento, intitulado Contributos para o Plano de Recuperação e Resiliência, foi submetido via Consulta Pública e está agora a ser entregue diretamente aos membros do Governo com as tutelas da Economia, Defesa, Administração Interna, Educação, Ciência e Tecnologia e Infraestruturas, bem como a vários departamentos públicos, como o IAPMEI, AICEP, a IDD ou a ANI.

Este endereça a atual aposta da AED em Programas estratégicos, que capitalizem iniciativas já a decorrer ou lançando novas ações que promovam a subida nas cadeias de valor das empresas portuguesas nos mercados internacionais, trazendo um elevado retorno económico ao país e contribuindo ativamente para um melhor posicionamento industrial de Portugal no mundo.

“A nível nacional os setores da Aeronáutica, Espaço e Defesa (AED) representam um volume de faturação agregado superior a 1,7 mil milhões de Euros, com valores de exportação que rondam os 90% e suportando mais de 18.500 recursos humanos, assumindo um papel cada vez mais relevante no tecido industrial nacional. Nesta linha, é para nós importante que os fundos disponibilizados no Plano de Recuperação e Resiliência sejam maioritariamente dirigidos de forma transversal aos três sectores no âmbito do investimento direto na indústria, de forma reprodutiva, acelerando e consolidando as capacidades de desenvolvimento de produtos e serviços já existentes e focando-se no aumento de valor acrescentado, volumes de exportações e na criação de emprego qualificado. Este esforço só pode ser liderado pela indústria nacional, através do apoio às estratégias dos clusters, consolidadas ao longo da última década, que permitam recolher os benefícios necessários a curto prazo, relançando a nossa economia da forma célere que se precisa”, explica José Neves, Presidente do Conselho de Administração da AED Cluster Portugal.

Todos os programas propostos pelo AED Cluster Portugal intersectam, em várias dimensões, com os vértices e os componentes principais identificados no Plano de Recuperação e Resiliência Nacional, demonstrando o alinhamento claro com a sua visão, tais como: Investimento & Inovação; Qualificações & Competências; Infraestruturas; Mobilidade Sustentável; Descarbonização da Indústria; Hidrogénio e Renováveis; e as Empresas 4.0.

Programas como estes garantem um potencial produtivo Nacional, através da inovação em todo o ecossistema, alavancado o desenvolvimento das competências dos nossos recursos humanos. Face a todos estes desafios que propomos, estamos inteiramente disponíveis para colaborar na operacionalização do Plano de Recuperação e Resiliência para que cumpra de forma eficiente as necessidades dos setores, tornando-se num motor crucial para a criação de valor acrescentado e para a retoma económica. Empresas mais capazes e mais preparadas promovem crescimento económico, mais exportações e emprego”, defende o responsável.

Neste sentido, de forma a atingir todas as metas propostas, o Cluster delineou um conjunto de Programas abrangentes e ambiciosos, a serem lançados neste Plano de Recuperação. Damos a conhecer alguns dos pontos de cada um:

 

PROGRAMA STEPUP4AERO

·        Propõem a capitalização de todo o investimento e aposta feita na indústria da Aeronáutica nacional até ao momento, com o objetivo de manter o capital, humano e não-humano, e evitando que se perca o foco nacional num setor de alto valor acrescentado e dedicado à exportação na sua quase totalidade.

·        Investimento em iniciativas estruturantes já em fase adiantada de desenvolvimento, como é o caso do programa ATL-100 e outras iniciativas que possam surgir, que permitam a obtenção de resultados de curto prazo, capazes de envolver grande parte do ecossistema nacional em torno de objetivos comuns.

 

PROGRAMA STEPUP4UAV

·        Propõe-se o aproveitamento do novo paradigma dos UAVs (Veículos Aéreos Não Tripulados) e da Mobilidade Aérea Urbana, de forma a posicionar estrategicamente a indústria nacional nestas cadeias de valor emergentes. No caso do mercado civil de UAVs, este encontra-se a crescer significativamente: com um volume global de cerca de 4,5 mil milhões de EURO em 2019, prevendo-se a duplicação em 2025. Particularmente para o segmento de transporte de passageiros, estima-se que haverá até 160.000 táxis aéreos comerciais no ar até 2050. A indústria de passageiros da Mobilidade Aérea Urbana irá então gerar receitas de quase 75 mil milhões de EURO por ano.

·        Neste âmbito, o cluster AED já está especificamente a trabalhar no desenvolvimento de competências e criação de produtos e serviços para o setor de transporte de passageiros, principalmente através do projeto mobilizador FLY.PT atualmente em fase de implementação.

 

PROGRAMA STEPUP4SPACE

·        Propõem fechar um ciclo de investimento e apostar na competitividade da indústria Espacial nacional. Esta já tem vindo a ser trabalhada através da capitalização de recurso humanos e infraestruturas resultantes da participação de Portugal na ESA, desde 2000, na criação da Agência Espacial Portuguesa e de uma estratégia Espaço 2030, e a alavancagem das diversas iniciativas Nacionais já em curso.

·        Considerando que no setor Espacial mundial existe uma crescente corrida de acesso e utilização do Espaço, baseada em novos modelos de negócio, tecnologias mais acessíveis, novos atores geográficos e um alargamento exponencial do leque de aplicações de informação via satélite, torna-se importante cobrar os dividendos da aposta e investimento de Portugal já realizados na ESA e entrar de forma competitiva nestas cadeias de fornecimento de elevado valor acrescentado e de exportação, garantindo-se também um posicionamento na linha da frente do chamado New Space.

 

PROGRAMA STEPUP4DEFENCE

·        Propõem reforçar as capacidades e competências da economia de defesa portuguesa, e posicionar estrategicamente a indústria nacional neste setor que tem vindo a ser um foco de atenção, com o recém-aprovado Fundo Europeu da Defesa (EDF), de 7,95 mil milhões de Euros, mecanismo que irá dinamizar uma maior cooperação na área da Defesa entre os vários países da EU.

·        Neste contexto dá-se particular interesse ao setor Naval, através da extensão da Plataforma continental, que exigirá a Portugal abordagens inteligentes e diferenciadoras na sua capacidade de controlo, vigilância e defesa, utilizando-a como plataforma inovadora para promover novas soluções tecnológicas no domínio marítimo, convencionais e não-convencionais.  

Partilhe esta página

Campo Obrigatório